Archive for the ‘ Seleção Brasileira ’ Category

Mano caiu…Quem será o técnico da Seleção Brasileira?


Ninguém esperava que o técnico Mano Menezes acabaria deixando a Seleção, sobretudo a essa altura. Se ele havia resistido às perdas da Copa América e da medalha olímpica, aliada às derrotas em amistosos diante das seleções mais fortes, tais como França, Argentina e Alemanha, tudo indicava que ele seria mesmo o comandante para a Copa das Confederações e também na Copa do Mundo. Porém, na tarde da última sexta-feira, uma decisão tomada em reunião na Federação Paulista da Futebol surpreendeu a todos. Mano Menezes acabou demitido do cargo de treinador da Seleção Brasileira pelo presidente da CBF, José Maria Marin.

Sob o comando de Mano Menezes, o Brasil fez 33 jogos, vencendo 21, empatando seis e perdendo outros seis, o que corresponde a quase 70% dos pontos ganhos desde a sua estreia em agosto de 2010. Foram 102 jogadores convocados, sendo 13 goleiros, 9 laterais direitos, 8 esquerdos, 16 zagueiros, 18 volantes, 23 meias e 15 atacantes. O treinador, que estreou em agosto de 2010, na vitória por 2 a 0 sobre os EUA, deixa o comando da Seleção justamente após a conquista do bicampeonato do Superclássico das Américas, sobre a Argentina, em pleno estádio La Bombonera, nos pênaltis, após perder no tempo normal, por 2 a 1, quando já parecia que começava a dar um padrão ao time, tanto taticamente, quanto também aos nomes utilizados. O jogador mais chamado foi mesmo Neymar, que estreou junto com Mano, e atuou 27 jogos, marcando 17 gols.

Como era de se imaginar, os rumores sobre o substituto de Mano correm soltos e envolvem uma série de possíveis candidatos. O nome mais forte, preferido do presidente José Maria Marin, deve ser mesmo o de Luiz Felipe Scolari. Recém-saído do rebaixado Palmeiras, Felipão tem como trunfo a boa passagem pela Seleção, que culminou no título na Copa do Mundo de 2002. Porém, a má fase recente opde atrapalhar a sua escolha. Outro nome forte é do atual campeão da Liibertadores, Tite. Se contrapondo à fase de Scolari, o nome do treinador do Corinthians pode ganhar ainda mais força caso conquiste o título do Mundial Interclubes, agora em dezembro, no Japão.

Outros nomes cogitados são os de Muricy Ramalho, que era a primeira opção no final de 2010, optou por permanecer no Fluminense, com quem até então tinha contrato; Abel Braga, atual Campeão Brasileiro com o próprio Flu, e talvez a opção mais polêmica, provavelmente a mais desejada pelos torcedores e menos provável para ser escolhida pelos dirigentes brasileiros: Pep Guardiola. Sem trabalho desde a saída do Barcelona em abril deste ano, o espanhol chegou a ser cogitado anteriormente e até se disse interessado na possibilidade de comandar o Brasil na Copa do Mundo realizada por aqui, porém, os mandatários da CBF dificilmente colocarão um treinador estrangeiro no comando da Seleção. A decisão deverá ser tomada apenas em janeiro.

Anúncios

Brasil 1000!!!


Nesta terça-feira, Mano Menezes anunciou uma convocação especial. O amistoso diante da Colômbia, no próximo dia 14, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, será o jogo de número 1000 na história da Seleção Brasileira. Chamando sua força máxima, já que na semana do amistoso não terá rodada do Campeonato Brasileiro. Sem maiores surpresas, o grupo é basicamente o mesmo que convenceu nos últimos compromissos, diante dos frágeis Iraque e Japão. Pode-se dizer que as poucas novidades foram a manutenção de Leandro Castán, da Roma, que atuou contra os japoneses improvisado na lateral esquerda, agradou e volta a ser chamado. Além dele, o corintiano Fábio Santos foi o único lateral esquerdo a ser convocado e Mano dá a entender contar com ele, até pela contusão de Marcelo (do Real) e Alexsandro (do Porto).

Eis a lista completa dos convocados:
Goleiros:
Diego Alves (Valencia-ESP)
Jefferson (Botafogo)

Laterais:
Daniel Alves (Barcelona-ESP)
Adriano (Barcelona-ESP)
Fábio Santos (Corinthians)

Zagueiros
:
Thiago Silva (PSG-FRA)
David Luiz (Chelsea-ING)
Leandro Castán (Roma-ITA)
Réver (Atlético/MG)

Volantes:
Sandro (Tottenham-ING)
Paulinho (Corinthians)
Arouca (Santos)
Ramires (Chelsea-ING)

Meias:
Kaká (Real Madrid-ESP)
Oscar (Chelsea-ING)
Giuliano (Dnipro-UCR)
Lucas (São Paulo)
Thiago Neves (Fluminense)

Atacantes:
Neymar (Santos)
Leandro Damião (Internacional)
Hulk (Zenit-RUS)

Kaká voltou!!!


Na tarde desta quinta-feira, o técnico Mano Menezes fez mais uma convocação da Seleção Brasileira. Desta vez, os compromissos brasileiros são os amistosos diante de Iraque e Japão, dias 11 e 16 de outubro, nas cidades de Malmo, na Suécia e em Breslávia, na Polônia, respectivamente. Devido ao momento importante do Campeonato Brasileiro, e pensando em não prejudicar muito as equipes, Mano optou por chamar apenas um jogador de cada equipe que disputa o Brasileirão. Em uma lista com poucas surpresas, o maior destaque ficou por conta do retorno de Kaká. O meia, que vem sendo pouco utilizado no Real Madrid, não sendo utilizado nenhuma vez oficialmente nesta temporada, volta a vestir a camisa amarelinha deopis de dois anos sem ser lembrado. O último jogo dele pelo Brasil foi justamente na Copa de 2010, na eliminação frente à Holanda. Outra novidade foi o zagueiro Leandro Castán, recém-saído do Corinthians para a Roma, da Itália. Um fato que deve causar alguma polêmica foi Mano Menezes não ter atendido o pedido da direção do Santos de poupar o atacante Neymar desses amistosos, já que o jogador anda bastante desgastado pela sequência de compromissos.

Eis a lista completa da convocação:

Goleiros
:
Diego Alves (Valencia)
Victor (Atlético-MG)
Jefferson (Botafogo)

Laterais:
Daniel Alves (Barcelona)
Adriano (Barcelona)
Marcelo (Real Madrid)
Alex Sandro (Porto)

Zagueiros:
Thiago Silva (PSG)
David Luiz (Chelsea)
Leandro Castán (Roma)
Dedé (Vasco)

Volantes:
Sandro (Tottenham)
Paulinho (Corinthians)
Fernando (Grêmio)
Ramires (Chelsea)

Meias:
Kaká (Real Madrid)
Oscar (Chelsea)
Lucas (São Paulo)
Giuliano (Dnipro-UCR)
Thiago Neves (Fluminense)

Atacantes:
Neymar (Santos)
Leandro Damião (Internacional)
Hulk (Zenit)

Mano, firme no cargo, convoca mais uma….


Mano Menezes balançou, balançou, mas não caiu. A medalha de prata conquistada com a derrota frente ao México na final olímpica não foi o suficiente para tirar o treinador do cargo de comandante da Seleção Brasileira. Com isso, a vida segue e Mano anunciou no início da tarde desta quinta-feira a lista de jogadores convocados para dois amistosos a serem realizados no início do próximo mês. Os próximos compromissos serão diante de África do Sul e China, nos dias 7 e 10 de setembro, no Morumbi, em São Paulo, e no Arruda, em Recife, respectivamente. E a lista teve, no mínimo, duas grandes novidades. Uma delas é o volante Arouca, do Santos. O camisa 5, constantemente solicitado pela imprensa e torcida brasileiras, fará sua estreia no time principal da Seleção. Além dele, a outra surpresa foi o goleiro Cássio. Depois de um ótimo desempenho na campanha do título corintiano da Libertadores da América, o arqueiro também foi convocado pela primeira vez na equipe A do Brasil. Confira a lista completa:

Goleiros
Jefferson (Botafogo)
Diego Alves (Valencia-ESP)
Cássio (Corinthians)

Laterais
Alexsandro (Porto-POR)
Adriano (Barcelona-ESP)
Daniel Alves (Barcelona-ESP)
Marcelo (Real Madrid-ESP)

Zagueiros
Thiago Silva (PSG-FRA)
David Luiz (Chelsea-ING)
Dede (Vasco)
Rever (Atlético-MG)

Volante
Arouca (Santos)
Rômulo (Spartak-RUS)
Paulinho (Corinthians)
Sandro (Tottenham-ING)

Meias
Lucas (São Paulo)
Oscar (Chelsea-ING)
Ramires (Chelsea-ING)

Atacantes
Hulk (Porto-POR)
Jonas (Valencia-ESP)
Leandro Damião (Internacional)
Neymar (Santos)

Ele resolve, também na seleção…

Márcio Iannacca
GLOBOESPORTE.COM


O Brasil voltou a sofrer com a maestria de Lionel Messi na tarde do último sábado, em Nova Jersey. Se antes muitos cobravam que o camisa 10 não resolvia para os “hermanos”, agora ele assumiu a responsabilidade e passou por cima do time canarinho. Com três gols, um deles uma pintura, “La Pulga” foi fundamental na vitória de sua equipe sobre a Seleção de Mano Menezes, no MetLife Stadium, nos Estados Unidos.

Mas não foi fácil para a Argentina. O Brasil ficou à frente do marcador em duas oportunidades. Os gols do time canarinho foram marcados por Rômulo, Oscar e Hulk. Além dos três tentos de Messi, o zagueiro Federico Fernández fez o outro para os Hermanos, completando cobrança de escanteio. Brasil 3 x 4 Argentina. Essa foi a segunda vez em três anos que Messi decidiu uma partida contra o Brasil com um belo gol. Em 2010, no Qatar, no triunfo dos Hermanos por 1 a 0, o jogador também resolveu com uma jogada individual.

A seleção brasileira a partir de agora vai se preparar para os Jogos de Londres. A convocação definitiva para o torneio será divulgada no dia 6 ou 9 de julho. A CBF ainda não definiu a data.

(Foto: GettyImages/ Reuters/ EFE/ AP)

‘You win’…


Depois de iniciar a série de amistosos com ótima vitória diante da Dinamarca, contando com atuação inspirada de Hulk, autor de dois dos três gols brasileiros na vitória por 3 a 1, o time verde e amarelo viajou até Washington, nos Estados Unidos, encarar os donos da casa. Com os reforços de Neymar e Rafael, que não atuaram na primeira partida, os comandados de Mano Menezes voltaram a fazer uma boa apresentação e conseguiram vencer e convencer mais uma vez.

Marcando em cima desde o início, o Brasil mostra realmente postura diferente à que apresentava até o ano passado. Como um dos maiores destaques, o goleiro Rafael, estreante como titular no gol brasileiro, fez grandes defesas e parece confirmar sua vaga na Olimpíada de Londres. No ataque, Neymar, muito bem marcado, também jogou bem. Não deu show como de costume, mas abriu espaços importantes para finalizações de Hulk e Damião. Quem impressionou também foi Oscar. Vestindo a camisa 10, o meia, que foi confirmado como jogador do Internacional, comprado de vez junto ao São Paulo, encerrando toda a polêmica, atuou com muita tranquilidade e armou as principais jogadas ofensivas do Brasil.

Aos 11, foi dele a jogada que resultou em pênalti, quando o zagueiro norte-americano Onyewu colocou a mão na bola no chute de Leandro Damião. Neymar fez 1 a 0. Aos 25, o camisa 11 cobrou escanteio, Thiago Silva se antecipou aos zagueiros e cabeceou bonito para dobrar a vantagem. Antes do intervalo, Danilo vacilou na defesa, Bradley acertou ótimo passe em profundidade, Johnson cruzou e Gomez só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede.

Na etapa final, os anfitriões até pressionaram, mas não conseguiram converter a pressão em gols. Aos seis minutos, os brasileiros aproveitaram muito bem um contra-ataque e marcaram o terceiro. Em excelente troca de passes, Marcelo entrou em velocidade, jogou para Hulk, que mandou na linha de fundo para Neymar cruzar para trás para o lateral bater forte de primeira e estufar as redes. Com o terceiro gol do Brasil, os Estados Unidos se desestabilizaram na partida, passando a chegar com mais violência, principalmente em Neymar. Pato entrou aos 15 no lugar de Damião. No seu primeiro lance em campo, o atacante do Milan aproveitou cruzamento rasteiro de Neymar e bateu de primeira no pé da trave.

A partir daí, só deu EUA. E só deu Rafael. No mínimo três defesas impressionantes. Como castigo por vários gols perdidos, o golpe de misericórdia veio aos 41. Mais um contra-ataque rápido, mais um ótimo lançamento de Marcelo, no peito de Alexandre Pato, que matou bonito e encheu o pé direito para fechar a goleada. Estados Unidos 1 x 4 Brasil. No próximo domingo, o Brasil encara o México, ainda nos Estados Unidos, em Dallas.

(Fotos: Reuters/ Gettyimages brasil)

Ricardo Teixeira não é mais presidente da CBF!!!

(Foto: Mowa Press/Divulgação)

A manhã deste dia 12 de março de 2012 marcou o encerramento de uma jornada de 23 anos de Ricardo Teixeira à frente da Confederação Brasileira de Futebol. Através de uma carta, lida por José Maria Marín, Teixeira se despediu e comunicou a todos de que não é mais o presidente da entidade que coordena o futebol nacional. Na mesma entrevista coletiva, concedida no Rio de Janeiro, Marín, até então vice-presidente e mandatário em exercício após a licença médica do agora ex-presidente na última semana, foi anunciado como seu substituto.

(Foto: blogs.lancenet.com.br)

Entre outras colocações, Ricardo Teixeira se disse honrado por liderar a CBF por tanto tempo e agradeceu aos torcedores brasileiros. Lembrou os títulos conquistados durante esse período e considerou injusta as acusações que têm sofrido ao longo do seu comando.
Fiz nesses anos o que estava ao meu alcance, sacrificando a saúde e o convívio familiar. Fui criticado nas derrotas e subvalorizado nas vitórias. Presidir paixões não é tarefa fácil. O futebol no nosso país é associado a talento e desorganização. Quando ganhamos, despertou o talento. Quando perdemos, imperou a desorganização”.


Ricardo Teixeira assumiu a presidência da CBF em janeiro de 1989. Em sua gestão, o Brasil conquistou os títulos das Copas do Mundo de 1994 e 2002, três Copas das Confederações (1997, 2005 e 2009) e cinco Copas Américas (1989, 1997, 1999, 2004 e 2007). Foi o responsável pela criação da Copa do Brasil, em 1989, e mudou a fórmula de disputa, algumas vezes, do Campeonato Brasileiro, consolidando a fórmula, que deu certo, dos pontos corridos, a partir de 2003. Sua maior vitória foi conquistada em 2007: liderou a candidatura do Brasil para ser sede da Copa do Mundo de 2014 e, logo em seguida, tornou-se presidente do Comitê Organizador Local (COL).

José Maria Marín assume o cargo por se tratar do integrante mais velho da equipe de Teixeira. Marín já foi governador do estado de São Paulo no início dos anos 80, quando substituiu Paulo Maluf por alguns meses. Mas o que o colocou em destaque recentemente foi em janeiro deste anos, na confusão na cerimônia de premiação ao Corinthians, campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior, por colocar no bolso uma das medalhas que seriam entregues aos jogadores. O mandato vai até o final de 2014, com nova eleição somente no início do ano seguinte.
Assumo a presidência de acordo com o estatuto da entidade e cumprirei o mandato até o final para fazer uma gestão de continuidade ao que vinha sendo feito.”

(Foto: AFP)