Três pra lá, três pra cá…


Fazia bastante tempo que não via um clássico do nível da grandeza das duas equipes envolvidas. E isso aconteceu em Presidente Prudente nesse domingo. O Palmeiras esteve à frente do placar três vezes. Mas o São Paulo conseguiu ser efetivo no ataque e reagir todas as vezes. Porém, o placar igual no final dos 90 minutos acabou não sendo bom para nenhum dos dois lados. O único ponto, tanto para alviverdes, quanto para tricolores acabou distanciando ambas as equipes da ponta da tabela.

No início do jogo, quem partiu para cima foi o Verdão. Contando com a velocidade de Naikon Leite, a habilidade de Hernán Barcos, e os arremates de longe de Daniel Caravalho, os palmeirenses criaram as melhores oportunidades de gol. Tanto que antes do quinto minuto de jogo, falta. Marcos Assunção? Dessa vez, não. Daniel Carvalho surpreendeu os defesores adevrsários bateu colocado de perna esquerda, no canto, sem chances de defesa para Dênis, abrindo o marcador no Prudentão.

A vantagem no placar deu a tranquilidade e o controle do jogo ao Palmeiras, que ainda criou novas oportunidades para ampliar. As tentativas sãopaulinas eram basicamente nos seus dois melhores jogadores disponíveis no elenco: Cortês e Lucas. Porém, foi o contestado Casimiro que fez boa jogada pela direita e cruzou a bola rasteira ao meio da pequena área, onde achou o meia (que também faz as vezes de centroavante de vez em quando) Cícero, que só escorou, mandando a bola para o fundo das redes e deixando tudo igual. Mas não deu muito tempo para comemorar a igualdade. Dez minutos depois, aos 36, arrancada de Maikon Leite pela esquerda, e o camisa 7 serviu Barcos no meio da área. O atacante argentino girou para cima da marcação de dois defensores tricolores para bater forte de perna esquerda, estufando a rede de Dênis, e deixando o Palmeiras a frente novamente.

Para a segunda etapa, Leão mudou. Saiu um inoperante Jadson, e entrou o velocista Fernandinho. Mas foi além dos nomes. Pois na atitude, o São Paulo voltou totalmente diferente. E o objetivo do técnico sãopaulino já foi alcançado logo aos oito minutos jogados. Em nova investida de Cortês, o camisa 6, já dentro da área, tentou aplicar um chapéu para cima de Cicinho e o lateral direito mandou a mão no rosto do rival. Pênalti. Mesmo sob muita reclamação de Luiz Felipe Scolari, Wilson Luiz Seneme não teve dúvidas. A penalidade aconteceu. Willian José bateu bem e empatou novamente.

O segundo empate deixou os sãopaulinos animados, e o Tricolor partiu para cima em busca da virada. Cícero, em cobrança de falta, acertou o travessão. A pressão era intensa. Mas um dos maiores orgulhos da torcida do São Paulo nos últimos anos realmente não atravaessa um bom momento: a defesa. Mais um vacilo dos defensores custaram o terceiro gol palmeirense. Após cruzamento da esquerda, a bola passou por todo mundo, menos por Hernán Barcos, que dominou com tranquilidade e categoria e bateu firme para marcar o seu segundo, o terceiro do Verdão.

Quatro minutos depois, foi a vez de Fernandinho chamar a responsabilidade. O cmiasa 12 pegou a bopla no meio de campo, tentou partir para cima da marcação de Marcos Assunção, perdeu a primeira, pegou a bola novamente, jogou a bola para o pé direito (que não é o forte), e encheu o pé, acertando o canto esquerdo de Deola. Golaço! Depois disso, boas defesas de Dênis e Deola e o cansaço também apareceu e fez com que o placar se mantivesse igual. Palmeiras 3 x 3 São Paulo. Com o empate, o Palmeiras chegou a 22 pontos, quatro atrás do primeiro colocado. Já o São Paulo ficou mais para trás ainda. Com 19 pontos, está na quinta posição. O próximo jogo do Palmeiras será na quarta, contra o Linense. Já o São Paulo recebe o Guaratinguetá, quinta.

Na liderança do Paulistão, quem se deu bem na rodada 10 foi o Corinthians. O Timão, com um time misto, recebeu o Botafogo de Ribeirão Preto no Pacaembu. E a vitória veio com um gol feito logo aos três minutos de jogo, com um gol de Adriano. O camisa 10 aproveitou chute torto de Alex e empurrou para as redes para fazer seu segundo gol com a camisa corintiana. O suficiente para garantir a vitória magra, mas que fez o alvinegro abrir chegar aos 26 pontos, quatro de vantagem para o segundo colocado, que hoje é o Guarani.

Mas show mesmo quem voltou a dar é o Santos. E é o Neymar. Liderados pelo jovem atacante, os santistas receberam a Ponte Preta e um duelo que parecia equilibrado se transformou em um atropelamento sem piedades. Com dois de Neymar, dois de Dracena, um de Ganso e um contra, o Peixe fez incontestáveis 6 a 1 e também colou na parte de cima da tabela. Os santisats já estão em quarto com 21 pontos.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: