eee Libertadores…


E mais uma tentativa do Corinthians alcançar o tão sonhado título inédito da Taça Libertadores da América começava, e ia começando da pior maneira possível. Futebol fraco, pouca criação de lances de perigo, gol sofrido em falha da defesa e, principalmente do goleiro Júlio César, e, o pior de tudo, derrota. Ia. Pois o Timão conseguiu, da maneira mais corintiana possível, alcançar um ponto e conquistar o empate na estreia em San Cristóbal, na Venezuela.

O Corinthians começou bem a partida. Mesmo jogando fora de casa, os brasileiros tomaram conta da maior parte do jogo na etapa inicial. Algumas chegadas ao ataque, nada com perigo latente, mas algo que deixava os torcedores alvinegros confiantes. Porém, as peças de ataque do Timão não estavam rendendo o que delas se esperava, e eram presas fáceis para a bem postada defesa venezuelana. Entretanto, todo esse domínio e pressão corintianas duraram até os 21 minutos. Em uma falha da defesa, após cobrança de lateral, Chourio desviou de cabeça para trás na linha da área, Júlio César saiu mal, Chicão chegou chutando a bola, que bateu no atacante Sergio Herrera e encobriu o camisa 1. 1 a 0 Táchira.

O susto causou um misto de abatimento e renovação de disposição para os corintianos, que continuavam se arriscando ao ataque. Porém, a organização a essa altura era ainda pior. O melhor lance do Timão no primeiro tempo foi uma cabeçada de Danilo que estourou na trave, após cobrança de escanteio. Momentos depois, Emerson também teve boa chance após boa troca de passes em jogada pela direita de ataque, mas chutou fraco e o goleiro do Táchira, Rivas fez boa defesa.

Disposto a não voltar da Venezuela sem ponto algum, o time de Parque São Jorge partiu para cima do rival na etapa complementar. No intervalo Tite não mudou ninguém. Mas mexeu com o brio dos jogadores, implementando mais velocidade à equipe. No começo, até parecia que a partida mudaria de figura, com chegadas mais efetivas dos laterais Alessandro e Fábio Santos, mas os erros de passe e criação voltaram a se repetir e o treinador resolveu mudar aos 12 minutos. Mandou Alex, que ficou de fora do clássico do último domingo para ser poupado e acabou perdendo a vaga para Jorge Henrique na estreia na Libertadores, e Élton a campo, nos lugares dos apagados Emerson e Liedson.

Logo na sequência, mais um susto dos grandes para a Fiel torcida. Em contra-ataque, Herrera entrou pela direita em velocidade, e, em meio a desestruturada defesa adversária, serviu Chourio no meio da área, que chutou duas vezes para vencer Júlio César e mandar para as redes. Só que o auxiliar anotou posição irregular do autor do gol e anulou, alegando impedimento. O segundo susto fez com que o Corinthians acordasse na partida e avançasse ainda mais em busca do empate. Após chute de Alex, o goleiro deu rebote, e Élton não conseguiu empurrar para dentro, errando a bola na hora do chute. Na sequência, foi a vez do zagueiro Leandro Castán sair lá de trás, tabelar na frente, sair na cara do goleiro adversário e chutar para boa defesa de Rivas, salvando os anfitriões.

Tite ainda tentou mais alguma coisa, com Willian no lugar de Jorge Henrique. Mas estava difícil. A defesa do Deportivo Táchira se colocava muito bem e não cedia qualquer espaço. Paulinho não conseguia chegar de trás, como faz normalmente, Danilo, que tanto se destacou contra o São Paulo, passou totalmente despercebido no segundo tempo, Alex não conseguia emendar muitos arremates de longa distância. Para piorar os contra-ataques venezuelanos ainda preocupavam os campeões brasileiros.

Tanta luta e raça corintiana foi premiada no maior estilo ‘Corinthians’. No último lance, no último momento. 48 minutos. Fábio Santos tentou avanço pela esquerda e acabou derrubado. Na cobrança de falta, Alex levantou com precisão e achou a cabeça de Ralf, que subiu livre e cabeceou no canto do goleiro, sem chance de defesa para o arqueiro rival, definindo o placar final do jogo. Deportivo Táchira 1 x 1 Corinthians.

O Cruz Azul lidera o Grupo 6 com três pontos. Corinthians e Táchira têm um. O Nacional, do Paraguai, ainda não pontuou. Os paraguaios são os próximos adversários do Timão, dia 7 de março, no Pacaembu. Pelo estadual, o Alvinegro enfrenta o São Caetano, sábado, às 16h20m (horário de Brasília), no ABC, em partida que deve marcar o retorno de Adriano à equipe. O outro paulista na Libertadores também estreou fora de casa, também foi melhor mesmo longe de casa, e também não se deu bem. Só que o time de Neymar foi ainda pior. Mesmo saindo na frente com gol de Henrique, o Peixe abusou do direito de perder gols, se expôs de maneira desnecessária e acabou sofrendo a virada. 2 a 1 para o The Strongest, da Bolívia.

No grupo do Santos, o 1, o Inter é o líder, pois venceu o Juan Alrich, do Peru, na semana passada e tem três pontos. O The Strongest também tem três. O próximo jogo dos atuais campeões continentais na competição é contra o prórpio Inter, dia 8 de março, na Vila Belmiro. O último brasileiro a estrear na Libertadores de 2012 foi o Flamengo. E os comandados de Joel Santana saíram na frente no primeiro tempo, mesmo jogando na Argentina, com gol de Léo Moura, mas sofreram o empate na etapa final e a estreia terminou 1 a 1.

(Fotos: Reuters / EFE)

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: