Arquivo para janeiro \27\UTC 2012

‘Não é o fim’

(Foto: Reprodução)


Notícia mais do que triste para a grande torcida sãopaulina. O capitão e maior ídolo do elenco atual do Tricolor desfalcará a equipe por um bom tempo. Rogério Ceni. O camisa 01 tentou de tudo, evitou ao máximo, mas as dores no ombro não permitiram que o goleiro estreasse na temporada 2012, e ele vai ser obrigado a passar por uma cirurgia. O tempo estimado para retorno é de seis meses.

(Foto: placar.abril.com.br)


Aos 39 anos, Rogério passa apenas pela segunda grave lesão na carreira; a primeira aconteceu em 2009, quando, em um treinamento coletivo, o chamado ‘rachão’, deu um carrinho e lesionou gravemente o tornozelo esquerdo, operando a região também e ficando fora de atividade por quatro meses. Dessa vez, a contusão é no ombro direito, no ligamento e no labrum (estrutura de forma de cartilagem). A partir do momento da cirurgia vai se ropssível se definir uma previsão um pouco mais concreta do tempo de recuperação, muito embora seja praticamente impossível o retorno antes de seis meses de recuperação. O médico do São Paulo, José Sanchez, declarou que, independente da idade do atleta, ele irá voltar a atuar nas mesmas condições que tinha antes da lesão.

(Foto: saopaulofc.net)


Após o anúncio da cirurgia, Rogério postou um vídeo direcionado aos torcedores na internet. Na mensagem, o mito sãopaulino foi enfático:
Nós vamos estar juntos, esse não é o fim. Nós temos muita coisa pra escrever juntos ainda nessa história. Logo, logo estamos juntos vestindo a camisa do Tricolor.

(Foto: Fernando Dantas / Gazeta Press)

Anúncios

Sem brilho, mas na ponta…


GLOBOESPORTE.COM
Desta vez não houve o futebol envolvente mostrado na goleada sobre o Botafogo, mas o São Paulo, novamente sob forte chuva, fez o suficiente para conquistar sua segunda vitória no Campeonato Paulista. O jogo apresentou duas equipes com disposição, mas que foram prejudicadas pela forte chuva, que deixou o campo muito pesado e prejudicou principalmente o Tricolor, que apostava no toque rápido e na velocidade suas principais armas.

Com o passar do tempo, a postura do Oeste de jogar de igual para igual mudou, e o São Paulo, com mais capacidade técnica, começou a crescer em campo. O grande problema do Tricolor era que seus jogadores, em alguns lances, abusavam do individualismo. Aos 27, quando o jogo era muito concentrado no meio-campo, o time da casa abriu o marcador: após cobrança de escanteio, Cícero falhou ao tentar afastar a bola, que sobrou para Tadeu. O atacante, emprestado pelo Palmeiras, só desviou no canto direito de Denis: 1 a 0. A pequena torcida presente ao estádio, no entanto, nem teve tempo para comemorar já que, em dois minutos, o Tricolor virou o placar. Aos 31, após cobrança de falta de Fernandinho, Edson Silva testou e Cris, capitão do Oeste, marcou contra. No minuto seguinte, Luis Fabiano tocou para Wellington, que ganhou de seu marcador, invadiu a área e bateu com categoria na saída de Zé Carlos, marcando um belo gol, o seu segundo como atleta profissional: 2 a 1.

No segundo tempo, a partida passou a se tornar movimentada a partir dos 30 minutos. O Oeste começou a pressionar mais, e foi justamente aí, que o São Paulo marcou o terceiro e definiu a partida. Lucas recebeu no meio de Denilson, arrancou pelo meio, passou por dois marcadores e, da entrada da área, bateu firme, no canto direito do goleiro do Oeste, que, desta vez, não pôde fazer nada. Já nos descontos, após falha de Denis, Tadeu, de cabeça, marcou mais um para o Oeste. Nada que assustasse o time tricolor, que, apesar de não ter sido brilhante, fez o necessário para sair com a vitória. Oeste 2 x 3 São Paulo.

O Tricolor manteve o 100% de aproveitamento, entre os líderes da competição. Já a equipe de Estevam Soares sofreu sua segunda derrota seguida no torneio e está entre os últimos colocados, sem pontuação. Já em Guarantinguetá, a noite foi dos ‘vovôs’ corintianos. No dia em que os meninos da base conquistaram a Copa São Paulo, Chicão (voltando ao time titular) e Alessandro fizeram um gol cada e deram ao Timão a vitória por 2 a 0 sobre o Guaratinguetá. O Corinthians também soma duas vitórias nos dois primeiros jogos.

Destaque também para a goleada da Ponte Preta sobre o Bragantino em Campinas, 5 a 1, se recuperando da derrota na estreia do Paulistão. E no Pacaembu, a Portuguesa reviveu seus momentos de Barcelusa, mas não conseguiu vencer. O Palmeiras repetiu erros do passado e também não saiu com a vitória. Verdão e Lusa ficaram no empate por 1 a 1.

Corinthians Campeão da Copa SP!!!

Gustavo Serbonchini e Marcos Guerra
GLOBOESPORTE.COM


Um futebol de gente grande. Os garotos do Corinthians mostraram que a bola já não é mais brincadeira. Os corintianos aproveitaram o feriado de aniversário de 458 anos da cidade de São Paulo para lotar o Pacaembu. Enfrentaram um calor escaldante. Porém, em campo, o sol parecia não incomodar os jogadores. Corinthians e Fluminense começaram com a corda toda.

Logo de cara, o Fluminense foi mostrando à torcida alvinegra que não estava na decisão à toa. Aos quatro minutos, Marcos Júnior levou a melhor em uma dividida com o zagueiro Marquinhos e obrigou o goleiro Matheus Caldeira a fazer grande defesa. A resposta foi imediata. O lateral-direito Cristiano fez boa jogada individual e disparou um foguete, obrigando Silézio a fazer boa defesa. Passada a tensão inicial do jogo, o Corinthians até começou a ter mais posse de bola e apostava nas jogadas pelas pontas, mas a defesa do Flu freava as investidas. O time carioca adotou uma estratégia de recuar seus jogadores para congestionar o setor defensivo. Mas o Tricolor esteve longe de apenas se proteger. Muito pelo contrário.

Os contra-ataques do Flu deram trabalho a Matheus Caldeira. Higor, Eduardo e, sobretudo, Marco Júnior chegavam bem ao ataque, sempre na base das tabelas. Na mais perigosa, aos 21 minutos, o mesmo Júnior cabeceou rente à trave. Nos minutos finais, o sol, enfim, parece ter abatido os jogadores. Os elencos não conseguiram manter o ritmo forte e, apesar das inúmeras tentativas, o placar não foi movimentado.

Na volta do intervalo, o técnico Narciso ainda estava irritado com a atuação abaixo do esperado do Corinthians. E a irritação aumentou mais quando a bola voltou a rolar. Logo aos quatro minutos da etapa complementar, Marcos Júnior, sempre ele, fez boa jogada pela direita e cruzou para Michael. O goleiro Matheus Caldeira até teve a bola nas mãos, mas se atrapalhou e deixou a bola nos pés do atacante. Um vacilo fatal, o primeiro em toda a Copa São Paulo – apenas o reserva Ravi havia sido vazado na competição.

A desvantagem assustou o Timão, que se lançou ao ataque com tudo. Porém, longe de ter a mesma organização apresentada na primeira etapa. O Flu, por sua vez, se manteve perigoso. Ronan e Marco Júnior sentiam-se em casa e, não fossem as boas defesas de Matheus Caldeira, teriam feito o segundo do Tricolor. Aos poucos, o Corinthians foi se recuperando do susto e conseguindo neutralizar os contra-ataques do Flu.

A insistência corintiana no campo de ataque se intensificou e, de tanto insistir, enfim, o gol de empate veio aos 21 minutos. Após cobrança de escanteio de Matheus, o capitão Antônio Carlos subiu mais alto que todo mundo e, de cabeça, não deu chances a Silézio.

O que era para ser uma festa, virou apreensão instantes depois. Matheus Caldeira sentiu uma lesão, mas não quis deixar o campo. Mesmo mancando bastante, o arqueiro se esforçava para seguir à frente da meta corintiana. A pressão tricolor era grande. Depois de Higor quase deixar o Flu novamente na dianteira, aos 31 minutos, o técnico Narciso resolveu colocar o reserva Ravi em campo. O medo de tomar o gol fatal nos últimos minutos fez com que o Tricolor começasse a cozinhar a partida, tentando levar a decisão para os pênaltis. Um tiro no pé. O Corinthians partiu para o ataque e a vitória veio do jeito que o corintiano está acostumado; no apagar das luzes, fez o gol do título. Novamente ele. Antonio Carlos, outra vez de cabeça, também após cobrança de escanteio, balançou a rede e sacramentou a vitória aos 44 minutos.

Festa da torcida corintiana, que comemora o octacampeonato da Copinha. Corinthians 2 x 1 Fluminense. O time é o maior vencedor da competição. O segundo colocado é justamente o Flu, com cinco conquistas. 2011 terminou em festa, e 2012 começa da mesma maneira para a Fiel torcida.

Notícias boas e ruins no Tricolor…

Marcelo Prado
GLOBOESPORTE.COM

O São Paulo segue se reforçando para acabar em 2012 com o jejum de títulos que já dura três anos. Depois de Edson Silva, Maicon, Fabrício, Cortês, Paulo Miranda e Jadson, o clube fechou nesta terça-feira com o atacante Osvaldo, que se destacou no último Campeonato Brasileiro com a camisa do Ceará. Ele assinou contrato com o time do Morumbi por quatro temporadas e será o dono da camisa 17. Sua apresentação ocorrerá ainda nesta semana.

(Foto: Rubens Chiri / Site oficial do São Paulo FC)


Para contratar o jogador, o São Paulo pagou € 2 milhões (R$ 4,6 milhões) ao Al-Ahli por 50% dos direitos econômicos do atacante. O clube dos Emirados Árabes segue com a outra metade. Osvaldo chega para dar mais opções ao ataque do São Paulo, que hoje conta com Luis Fabiano, Fernandinho e Willian José. Ele teve o aval do técnico Emerson Leão que, ao ser consultado pela diretoria, disse que se tratava de uma contratação importante.

(Foto: Rubens Chiri / Site oficial do São Paulo FC)


O atacante tem 24 anos e iniciou sua carreira no futebol profissional pelo Fortaleza, com 19 anos, em 2006. Em 2009, foi contratado pelo Al Ahli, onde teve pouquíssimas oportunidades, já que sofreu uma séria lesão no dedão direito e ficou três meses sem poder colocar o pé no chão. Após se recuperar, foi deixado de lado pelos dirigentes, tanto que só voltou a jogar no ano seguinte, quando foi emprestado para o Braga-POR. No ano passado, viveu o melhor momento de sua carreira com a camisa do Ceará no Campeonato Brasileiro.

(Foto: Agencia Estado)


Por outro lado, nem tudo são notícias boas para os lados do Tricolor do Morumbi. O goleiro e capitão Rogério Ceni vai partir para o tudo ou nada para tentar escapar de cirurgia no ombro direito, que o deixaria afastado dos gramados por seis meses. O jogador seguirá o trabalho de fisioterapia integral no Reffis até a próxima quarta-feira. Na quinta, ele realizará um teste no gramado para saber qual é a sua exata situação. Se conseguir realizar todos os movimentos, a cirurgia estará suspensa e ele já poderá planejar quando voltará ao time – o que poderia ocorrer em dois meses, no máximo. Se não tiver êxito, a operação será realizada e aí ele terá de aguardar todo o período de recuperação – o que levaria até seis meses. Os médicos do Tricolor, José Sanchez, que acompanha o dia-a-dia da equipe, e Renê Abdalla, responsável por todas as cirurgias de atletas são-paulinos, já deram seu aval para a cirurgia. Outros dois especialistas foram consultados e, após analisarem os exames feitos na última semana, seguiram pela mesma linha de decisão. Mas o capitão são-paulino, que no sábado estava conformado com a necessidade de passar por cirurgia, resolveu pedir uma última chance.

(Foto: Agencia Estado)

Começou… com chuva (de gols) em São Paulo!

Marcelo Prado
GLOBOESPORTE.COM


Foi apenas o primeiro jogo da temporada, o adversário não era dos mais fortes, mas o torcedor são-paulino, após inúmeras decepções com sua equipe no ano passado, encontrou motivos para sorrir. Dentro de campo, um time formado basicamente pela base de 2011 (as exceções eram o zagueiro Edson Silva e o lateral-esquerdo Cortês) mostrou velocidade, objetividade, vontade e, diante de um frágil Botafogo de Ribeirão Preto, não teve dificuldade para se impôr e sair de campo com uma boa vitória.

Diante de um público que pode até ser considerado bom se for levado em consideração o temporal que caiu durante a partida, o São Paulo mostrou, sem a entrada de Jadson, que ainda necessita de melhor preparo físico para poder estrear, que terá uma vocação muito ofensiva. Em alguns lances no primeiro tempo, por exemplo, sete jogadores chegaram ao campo ofensivo (Piris, Wellington, Cícero, Lucas, Fernandinho, Luis Fabiano e Cortês). Isso, apesar de proporcionar muitas chances, deixa muitos espaços defensivos o que, diante de uma equipe mais qualificada tecnicamente, poderá trazer problemas.

Aos oito, surgiu a primeira jogada de perigo com Fernandinho, que só não marcou porque foi travado na hora do chute. Aos 13, após nova jogada do atacante, Cícero, de cabeça, perdeu um gol inacreditável. Aos 15, após uma bobeada defensiva são-paulina, Luis Ricardo quase marcou para o Botafogo em lance confuso dentro da área. O show de chances perdidas seguiu e o São Paulo ainda parava no bom desempenho do goleiro Márcio, formado nas categorias de base do time do Morumbi.

No entanto, aos 36, não teve jeito. Lucas cobrou escanteio e Rhodolfo, de cabeça, abriu o marcador: 1 a 0. A essa altura, o domínio tricolor era tamanho que o time possuía 66% de posse de bola. Aos 40, Márcio fez mais duas grandes defesas em chutes de Cícero e Denilson. Aos 42, no entanto, ele não conseguiu segurar a cabeçada de Cícero que, após cruzamento de Fernandinho, testou no canto direito do goleiro visitante: 2 a 0 e muitos aplausos na saída para o intervalo.

Veio o segundo tempo e o passeio são-paulino continuou. Ofensivo, rápido e com apetite, a goleada começou a se desenhar aos três minutos. Lucas passou por dois jogadores e, de pé esquerdo, mandou no ângulo de Márcio, que voou e mandou pela linha de fundo. Aos 11, saiu o terceiro e quem comemorou foi o estreante Edson Silva, que aproveitou sobra na área após uma cobrança de escanteio e bateu de pé esquerdo para marcar 3 a 0. Com o placar definido, Emerson Leão aproveitou para fazer alterações e evitar assim, que alguma lesão pudesse aparecer nesse início de temporada. Ele sacou Denílson, Cícero e Fernandinho para colocar Casemiro, Rafinha e Maicon. O domínio continuou e, aos 30, saiu o quarto, com a contribuição de Márcio, que fez gol contra. Nos últimos dez minutos, já com o torcedor cantando olé e a chuva mais fraca, o time passou a tocar a bola, esperando apenas o tempo passar para comemorar a importante vitória e sair de campo aplaudido, algo que há muito tempo não acontecia. São Paulo 4 x 0 Botafogo/SP.

Com a vitória, o time somou os primeiros três pontos e lidera a tabela por somar maior saldo de gols. Na quarta-feira, o Tricolor voltará a campo para atuar como visitante, contra o Oeste, em Presidente Prudente, a partir das 19h30m. Já a equipe do Interior buscará a reabilitação diante do XV de Piracicaba, no estádio Santa Cruz.

Nos outros jogos da rodada inicial do Paulistão 2012, destaque para o sofrimento do Campeão Brasileiro. Aliás, sofrer deixou de ser um problema para a torcida do Corinthians. Mas, no fim, valeu a pena. Com um futebol bem abaixo de quem conquistou o título brasileiro em dezembro, o Timão suou para vencer o Mirassol por 2 a 1, de virada. Quem também estreou com o pé direito foi o Palmeiras. Com Felipão nas tribunas pela suspensão imposta pelo TJD-SP, o Verdão não exibiu o futebol dos sonhos da torcida, mas venceu o Bragantino por 2 a 1, em Bragança Paulista. A Portuguesa foi surpreendida, no Canindé, pela equipe do Paulista, do técnico Sérgio Baresi, ex-São Paulo. 2 a 0. E o outro grande do Estado também não venceu. No duelo entre os atuais campeões paulistas das Séries A-1 e A-2, belas jogadas, muitas chances de gol criadas, bolas na trave e, no fim, um justo empate por 1 a 1. O Peixe, que atuou com os seus reservas, abriu o marcador com Alan Kardec no primeiro tempo e esteve com a vitória nas mãos até os 45 minutos da etapa complementar, quando André Cunha, em cobrança de pênalti, fez a alegria do time da casa.

Caras novas, e conhecidas, no Peixe…!

(Foto: André Portugal / Vipcomm)


Depois de um período para absorver o impacto da derrota acachapante na final do Mundial Interclubes para o Barcelona, o Santos parece começar a se mexer e pensar mesmo na temporada 2012. Praticamente às vésperas da estreia no Campeonato Paulista (o Peixe pega o XV de Piracicaba no próximo domingo), a diretoria santista resolveu reforçar o elenco com figuras bastante conhecidas da torcida paulista.

(Foto: André Portugal / Vipcomm / Divulgação)
Revoltado com os atrasos salariais e também com as diferenças de ‘mordomias’, digamos assim, entre os jogadores do elenco do Flamengo, o zagueiro Alex Silva já se manifestou que quer sair do rubro-negro. Nem sequer se apresentou para viajar para a Bolívia, onde o Fla faz a estreia na Pré-Libertadores. Com isso, o jogador interessou ao Santos, que já conversou com os representantes flamenguistas e o empréstimo foi acertado. Segundo informações do site Uol Esportes, Alex já confidenciou que não joga mais pelo Flamengo, ambas as partes (Santos e Alex Silva) já chegaram aos acordos financeiras e a confirmação deve acontecer nos próximos dias.

(Foto: Ricardo Matsukawa / Terra)


E a informação da tarde desta quinta-feira foi outra aquisição santista, também por empréstimo. Juan. O lateral do São Paulo também se encontra insatisfeito com a atual situação, uma vez que já havia sido afastado com a chegada do técnico Émerson Leão e dificilmente seria titular esse ano, uma vez que o Tricolor contratou o bom lateral Cortês, do Botafogo, e com passagens pela Seleção Brasileira em 2011. Segundo contatos com o empresário do jogador Eduardo Uran, ainda não tem nada de concreto, mas a negociação existe, só não deveria ter vazado. Mas vazou. E agora não se pode mais esconder que todas as evidências levam a crer que o lateral esquerdo deve mesmo brigar com Léo pela vaga entre os titulares do Peixe em 2012.

(Foto: Diego Benitez / EFE)

‘Professor’ Ricardo e os gringos paulistas…

(Foto: paranaclube.com.br)


Novidades nas últimas 24 horas no mercadão da bola do futebol nacional. Começando por um jogador que passou por grandes equipes do futebol paulista. Na verdade, agora se trata de um ex-jogador. Ricardinho, que jogou o último Brasileirão pelo Bahia, anunciou a aposentadoria. Na verdade, a aposentadoria foi um tanto quanto forçada. Explicando melhor a situação, fato é que o jogador rescindiu seu contrato com o clube baiano, que iria até o final de 2012. À espera de propostas, a melhor que lhe apareceu foi do discreto Itumbiara, de Goiás. Paralelo a isso, Ricardinho recebeu outro convite: assumir o cargo de treinador do Paraná, equipe que o revelou ao futebol. Ele aceitou a proposta do tricolor paranaense e foi anunciado como o novo técnico. A apresentação de Ricardinho nesta quinta-feira.

(Foto: semprebahia.com)


Voando para São Paulo, o Palmeiras anunciou a contratação do argentino Hernán Barcos, da LDU, do Equador. O atleta, de 27 anos, chega pelo valor de US$ 3,5 milhões (R$ 6,24 milhões) e o Verdão garantiu 70% dos seus direitos. Barcos é um antigo pedido de Felipão, que solicitava à diretoria a contratação de um novo atacante, de preferência mais experiente e de mais renome. E a recíproca é verdadeira. O atacante nunca escondeu que sonhava em jogar no Brasil, e trabalhar ao lado do técnico Luiz Felipe Scolari. Prova disso foi a recusa do jogador quanto à proposta vinda do futebol árabe. Em 92 jogos pela LDU, Barcos fez 53 gols e conquistou os títulos da Campeonato Equatoriano e do Copa Sulamericana de 2010. Deve chegar ao Brasil nesta quinta para assinar o contrato.

(Foto: Gary Granja / Reuters)


Outra aquisição internacional foi confirmada pela Santos. Os vice-campeões mundiais finalmente entraram em acordo com o Porto, de Portugal, e acertaram a vinda do lateral Fucile. O uruguaio chega, sem custos e por empréstimo de um ano, em acordo referente à liberação do também lateral Danilo, vendido aos portugueses, que pretendiam utilizá-lo desde o início de 2012. O contrato de Danilo com o Peixe obrigaria o jogador a ficar no time da Vila Belmiro até o meio do ano, porém, essa também já não era mais nem a vontade dele. Devido a isso, o esforço da diretotria santista em contra-balancear, não apenas a transição, como também seu elenco, que perdeu um lateral e acaba de ganhar um novo. Jorge Fucile tem 27 anos, iniciou a carreira no Liverpool, do Uruguai, e se destacuo em 2006, quando se transferiu para o Porto. Pela Seleção Uruguaia fez 34 partidas, sendo que participou do elenco que disputou a Copa do Mundo de 2010.

(Foto: pfutebol.com)

Anúncios