Arquivo para dezembro \27\+00:00 2011

Vai e Vém carioca…

Em meio aos preparativos do Sensacional e tradicional Revéillon realizado em terras cariocas, o Rio de Janeiro se prepara e especula, acerca de chegadas e partidas nos clubes da cidade maravilhosa para a temporada 2012.


No vice-campeão Brasileiro e Campeão da Copa do Brasil, as estruturas do elenco não foram, e a tendência é de que não sejam mesmo, muito alteradas para o ano que irá se iniciar. Sem muitas novidades, o clube só anunciou a dispensa do lateral paraguaio, pouco utilizado, Irrazábal. Além dele, a equipe da Colina também perdeu o atacante Élton, que se transferiu para o Corinthians. De resto, mais rumores do que algo de mais concreto. Os cruzmaltinos tem interesse e fizeram contato com o lateral Kléber, do Inter, com o zagueiro chileno José Rojas, do Universidad do Chile, e também com o atacante Emerson Sheik, do Corinthians. Por enquanto, só está confirmado como contratação no elenco vascaíno o lateral Thiago Feltri, que atuou no último Brasileirão pelo Atlético/GO.

Thiago Feltri, no chão, em confronto contra o América/MG


No Flamengo, a situação é bem semelhante. Muita especulação e bem pouca coisa de concreto. No setor das indefinições, as permanências dos principais nomes do elenco rubro-negro. O goleiro Felipe, o volante Willians, e os meias Thiago Neves e Ronaldinho Gaúcho, todos ainda seguem sem os contratos extendidos, e com o futuro duvidoso no clube. De saída, o veterano zagueiro Ronaldo Angelim e o jovem Gustavo, além do volante Fernando. Quanto às contratações, o volante Magal, ex-Americana (atual Guaratinguetá) é o único confirmado até aqui. Quem está perto de voltar ao Mengão é o atacante Vágner Love. E a cúpula flamenguista está confiante quanto ao retorno do camisa 9. A oferta de cerca de R$ 14,4 milhões já foi encaminhada ao CSKA, da Rússia, e agora a decisão está nas mãos dos europeus.

No Botafogo, a grande novidade é no banco de reservas. Depois de dispensar o técnico Caio Júnior em meio às rodadas finais do Campeonato Brasileiro, a cúpula botafoguense se esforçou e tirou Osvaldo de Oliveira do Japão. Outra novidade é a inesperada saída do lateral direito Alessandro, depois de quatro anos atuando pela equipe da Estrela Solitária. Por falar em saída, o Fogão perdeu um de seus principais destaques de 2011. O lateral esquerdo Bruno Cortês se transferiu e assinou contrato de cinco anos com o São Paulo. Além dele, o meia Éverton retornou de empréstimo para o Tigres, do México. Para suprir as ausências, o alvinegro ainda pretende anunciar mais reforços. O principal alvo é o zagueiro brasileiro naturalizado japonês Marco Túlio Tanaka, do Nagoya Grampus, que tem 30 anos e disputou a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Outra confirmação comemorada em General Severiano foi a contratação do meia Andrezinho, do Inter, que fechou acordo com o Bota por três anos.

E o Fluminense, ao menos por hora, conseguiu apenas fazer um certo acordo com o Atlético Goianiense. Depois de perder o volante Fernando Bob para os goianos, o Tricolor acerta agora a contratação do defensor Anderson, do próprio Atlético. O zagueiro já rescindiu contrato com o clube de Goiás e já certou todos os detalhes para jogar no clube carioca, só faltando a assinatura do contrato. Outras mudanças no elenco do Flu são as dispensas do lateral Marquinhos e do experiente atacante Araújo. A venda do lateral direito Mariano, que foi para o Bordeaux, da França; as chegadas pós empréstimos dos atacantes Alex e Wellington Nem, que tiveram desempenhos de destaque no Brasileirão por Internacional e Figueirense, respectivamente; além, é claro, das contratações do lateral direito Bruno, também do Figueirense, e do ótimo meiocampista Wagner, ex-Cruzeiro, e que estava no Gaziantepspor, da Turquia.

FELIZ NATAL!!!

Nessa data tão especial, esse que vos bloga quer agradecer mais uma vez por todo o apoio e acessos durante esse ano de 2011 e desejar tudo de ótimo no ano que irá se iniciar. Mas, antes disso, que possamos ter um Natal repleto de felicidades, cientes do verdadeiro significado da data festiva e que o nosso Pai só nos mande coisas boas para compartilharmos esses momentos tão especiais ao lado daqueles que mais amamos.

Time de outro mundo, campeão desse mundo!

Adilson Barros
GLOBOESPORTE.COM


Foi bom enquanto durou. O Santos sonhava, mas não foi páreo para o Barcelona. Não há time que se iguale ao Barça neste mundo. Vai ver é por isso que já se tornou clichê dizer que a equipe de Messi é de outro planeta. Mesmo escalando três zagueiros para tentar brecar a equipe catalã, o Peixe foi encurralado. Aliás, o bloqueio santista durou apenas 16 minutos. Foi quando Durval tentou cortar passe de Xavi e furou à frente de Messi. Se o argentino é brilhante mesmo quando é bem marcado, imagina quando o defensor vacila! Ele recebeu livre e, com um leve toque de esquerda, encobriu Rafael. Bruno Rodrigo ainda tentou cortar; Sem sucesso. Grande gol. Gol de melhor do mundo.

A essa altura, o Barça era Barça. Dominava a posse de bola e encurralava o Peixe, como costuma fazer com todos os seus adversários. O técnico Muricy Ramalho apostava em contra-ataquesDanilo, pela direita, e Léo, pela esquerda, tinham a missão de tentar explorar os lados do campo. No entanto, foram empurrados para trás implacavelmente. O Peixe corria atrás da bola e nos raros momentos que a tinha esticava para Neymar ou para Borges, que só a viam passar por cima, de longe. Aos 24, saiu o segundo. Passe de Daniel Alves para Xavi. Durval e Bruno Rodrigo não cortam. O meia recebe na entrada da área e chuta rasteiro. Rafael não alcança.


Um massacre se desenhava. Enquanto o Barça apresentava 76% de posse de bola, o Santos tinha dado apenas dois chutes a gol, ambos sem ameaçar muito Valdés. Ainda houve bola na trave de Fàbregas. Os santistas nas cadeiras do Estádio Internacional de Yokohama eram torturados, pois os ponteiros do relógio pareciam se arrastar. Aos 30 minutos, Danilo teve de deixar o campo, machucado. Elano, que havia sido preterido antes da partida para a escalação de Léo, entrou. Nada mudou.


E ainda houve tempo para mais um, antes mesmo do intervalo. Aos 44, Messi recebeu a bola no meio da zaga e, de calcanhar, deu para Daniel Alves, que cruzou para trás. Rafael espalmou. Thiago tentou de peixinho, o goleiro santista defendeu novamente, mas a bola caiu no pé direito de Fàbregas, que mandou a bola no pé da trave, para adentrar calmamente a meta brasileira. Estava encerrada a primeira etapa. O Santos tentou jogar, mas foi impossível. O Barça deu aula.


Que o Barcelona é muito melhor não apenas do que o Santos, mas todos os outros times, não é novidade. Era até esperado que a equipe catalã encurralasse o Peixe. O problema é que a defesa santista ia cometendo falhas juvenis. Foi assim nos dois primeiros gols. E isso se repetia na etapa final. O Peixe continuava acuado, brigando com a bola, refém da marcação implacável do Barça. Sim, é preciso que se destaque isso. O time espanhol tem a bola o tempo todo porque, além de possuírem técnica refinada no toque, seus jogadores são extremamente determinados na hora de roubá-la. Mesmo os atacantes. É um sufoco.

Com oito minutos do segundo tempo, o Barça já havia perdido três chances claras. Novamente, os minutos viraram horas para os alvinegros. O primeiro lampejo santista na partida saiu apenas aos 11 minutos do segundo tempo, quando Ganso ganhou a bola no meio e lançou Neymar. O prodígio santista recebeu, avançou, mas chutou em cima de Valdés. É o tipo de jogada que o camisa 11 já definiu bem inúmeras vezes. Resume bem em que se transformou o jogo para os santistas.

O Barcelona parou de forçar o jogo e o Santos até conseguiu, em alguns momentos, ter a bola na intermediária adversária. No entanto, não conseguiu ameaçar Valdés. O contra-ataque tão esperado pelos santistas jamais aconteceu. O time espanhol, mesmo tirando o pé, ainda acertou a trave de Rafael, num chute de Daniel Alves. E marcou o quarto gol aos 36, com o próprio Daniel Alves aparecendo na esquerda para servir Messi. Com um toque de gênio, o argentino cortou Rafael e tocou para o gol vazio. Parecia videogame.


Havia muita expectativa sobre o duelo entre Neymar e Messi. O argentino desfilou. O brasileiro não conseguia receber um passe. Com seu toque de bola envolvente e marcação adiantada, os catalães isolaram o craque brasileiro à frente. Os armadores santistas apenas defendiam, e a ligação era direta, em chutões da defesa. Que não deram certo. A partida estava liquidada desde o início, os santistas se conformam. Barcelona: campeão deste e de outros mundos. Santos 0 x 4 Barcelona.

(Fotos: AFP / AP / Reuters)

Tite fica!


Depois de muita incerteza e indefinição, o presidente do Corinthians Andrés Sanchez anunciou a renivação de contrato do técnico Tite. Agora, o vínculo do treinador vai até dezembro de 2012.O anúncio foi feito durante a inauguração do novo complexo do CT Joaquim Grava, onde estará o hotel que servirá de concentração para os jogadores do elenco alvinegro.

Tite, que ainda está passando férias nos Estados Unidos, interviu nas negociações entre a diretoria e o seu empresário, Gilmar Veloz, que buscava um aumento substancial de salário para o comandante da equipe de Parque São Jorge. Algo em torno de R$650 mil mensais, o que desagradou e muito Andrés. Ciente do impasse, Tite percebeu que a cúpula corintiana não estava disposta a pagar mais do que R$350 mil por mês. Pelo novo acordo, mais dinheiro que isso, apenas em caso de título para o Timão, quando aconteceria possíveis combinações financeiras.

Mesmo com a situação até então indefinida, Tite se reuniu com a diretoria antes de sair para as férias, para definir os últimos detalhes, como renovação de contratos, possíveis contratações e dispensas do atual elenco. A reapresentação do elenco está marcada para a segunda-feira, dia 4 de janeiro.

Enfim… Santos X Barcelona !!!

Adilson Barros e Cassio Barco
GLOBOESPORTE.COM


Com sustos e algumas falhas, mas também com pitadas precisas de genialidade, o Santos superou a ansiedade da estreia no Mundial de Clubes e confirmou o favoritismo na disputa com o Kashiwa Reysol. O placar não foi alcançado com tanta facilidade, como alguns torcedores imaginavam. Os donos da casa, do trio brasileiro Nelsinho Batista, Leandro Domingues e Jorge Wagner, levou alguns sustos ao sistema defensivo santista. Mas a apreensão não apagou o brilho dos gols alvinegros.

Os olheiros do Barcelona estavam atentos, registrando tudo: os vacilos nos primeiros 15 minutos, quando a posse de bola chegou a ser de 52% para o Kashiwa Reysol contra 48% para os santistas, as arrancadas de Sakai pelo lado direito. Em sua estreia do Mundial de Clubes, o Peixe demorou para se acertar. Mesmo assim, logo aos 4 minutos, Neymar acertou uma bola na trave, depois de uma trapalhada do zagueiro Kondo. Mas se enganou quem pensou que o Santos encontraria facilidade logo. Na primeira etapa, os comandados de Nelsinho chegaram a trocar bons passes entre defesa e meio-campo. Na parte ofensiva, Leandro Domingues era quem mais assustava, comandando a correria na frente. Mas o time japonês não chegava a levar um perigo grande a Rafael.

Enquanto isso, Neymar começava a desfilar dribles e chamar o jogo. Foi dele o primeiro gol. Depois de receber passe de Paulo Henrique Ganso, que não brilhou na primeira etapa, o atacante que tem o moicano copiado no Japão trocou a bola do pé direito para a canhota. E com o zagueiro já caído, chutou no ângulo direito de Sugeno. Golaço aplaudido até mesmo pelos torcedores do Kashiwa Reysol, no estádio de Toyota. Foi o gol de número 99 do atacante na carreira como jogador profissional.

Quatro minutos depois, aos 19, foi vez de o artilheiro Borges deixar a sua marca. O camisa 9 teve bom passe de Durval, que jogou novamente improvisado na lateral esquerda. Usando o corpo, conseguiu se livrar de dois marcadores antes do arremate, desta vez do lado direito de Sugeno. Novo golaço do Peixe.

Para o segundo tempo, o Santos voltou mais tranquilo com a vantagem no placar. Ainda assim, aos poucos, o Kashiwa voltou a se arriscar na frente, mas com mais perigo. O placar desfavorável parecia não intimidar a equipe japonesa. Leandro Domingues seguia como a principal válvula do time de Nelsinho Batista. E Jorge Wagner era a força na bola parada. E foi justamente dos pés do ex-são-paulino que o gol japonês começou a ser desenhado. Em cobrança de escanteio de Jorge Wagner, Sakai aproveitou a bobeira de Henrique na marcação e diminuiu para 2 a 1. O lateral-direito do Kashiwa, que chegou a ser cobiçado pelo Santos, fez o time nipônico se assanhar ainda mais.

Percebendo que o meio-campo não estava no mesmo ritmo, Muricy sacou Elano, apagado na partida, e colocou Alan Kardec. Com um time mais ofensivo, o Santos conseguiu tomar a vantagem de dois gols novamente aos 17 minutos. Danilo sofreu falta e cobrou com maestria. Sugeno nem se mexeu para tentar alcançar a bola, tamanho o capricho na cobrança.

Com o avançar do tempo, o Kashiwa parecia ainda mais ousado nas suas investidas ao ataque. Tanto que Kitajima chegou a acertar a trave de Rafael. O mesmo Kitajima também perdeu um gol incrível, quando o arqueiro santista já estava batido, fazendo com que a torcida santista pensasse: Messi & Cia não perderiam esses gols. Mas o que imoprta é que o Peixe se garantiu na tão esperada decisão do Mundial de Clubes. Kashiwa Reysol 1 x 3 Santos.

Thiago Dias
GLOBOESPORTE.COM


Na outra semifinal, a torcida japonesa, como em um teatro, fez silêncio para ver o Barcelona jogar no Estádio Internacional de Yokohama. O tom da torcida só aumentava em momentos de grandes jogadas. O volume chegou ao auge nos gols dos brasileiros Adriano, duas vezes, Maxwell – todos com grande ajuda do goleiro trapalhão Saqr – e do malinês Keita que garantiram a tranquila vitória de 4 a 0 sobre o Al Sadd e a classificação do time de Pep Guardiola para pegar o Santos na final.

Mas nem tudo foi festa e aplausos para os espanhóis. Aos 35 do primeiro tempo, David Villa sofreu uma fratura na tíbia da perna esquerda e teve que deixar o gramado de maca, direto para um hospital de Yokohama para exames mais detalhados. Desse modo, o camisa 7 está fora do confronto contra o Peixe. Para piorar, o chileno Alexis Sánchez, que substituiu Villa, saiu no segundo tempo devido a uma lesão muscular. Puyol e Mascherano também levaram pancadas e deixaram o campo sentindo dores ao fim do confronto.

O tão aguardado confronto entre brasileiros e espanhóis acontece na manhã (brasileira) desse domingo; ás 8h30, no Estádio Internacional de Yokohama, palco da final da Copa do Mundo de 2002.

(Fotos:Reuters)

Vai e vém 2011/2012…

Eis que mais uma temporada vai chegando ao fim e se inicia bnovamente a velha novela de transações entre os clubes Brasil afora. Entre eles, os principais elencos do futebol nacional se apressam para se reforçarem, pensando nos muitos compromissos de 2012.
Comecemos a analisar calmamente as principais transferências do país, pouco a pouco, iniciando pelos grandes de São Paulo.

*Corinthians
O Campeão Brasileiro já está totalmente focado na próxima temporada, principalmente no compromisso mais importante que 2012 o reserva, a tão sonhada Taça Libertadores da América. Para isso, o time de Parque São Jorge vêm se mexendo para aumentar ainda mais a qualidade do elenco que conquistou o título nacional esse ano. Depois de ver o sonho de repatriar o argentino Tévez mais distante, uma vez que o atacante deve fechar sua transferência para o Milan-ITA, o foco corintiano agora passa a ser o meia também gringo Montillo. O Corinthians já fez proposta pelo jogador e aguarda a resposta do Cruzeiro. O empresário do jogador, Sergio Irigoitia, declarou que se o camisa 10 deixar o clube mineiro, o destino deve ser o alvinegro, apesar de haver interesse de São Paulo e Santos no atleta.

O cruzeirense Montillo, agora próximo do Corinthians

Outra preocupação da cúpula corintiana é manter o técnico Tite. Porém, a situação não é tão simples quanto parece. O treinador teria pedido valor superior a 700 mil reais, quase o triplo da quantia que Tite recebe no momento. Com isso, o presidente Andrés Sanchez se revoltou com pedido e afirmou, até publicamente, que esse valor seria uma ‘ofensa ao país’, fora das proporções do mercado brasileiro. Já o empresário de Tite, Gilmar Veloz, disse que o comandante corintiano ficou bastante chateado com as declarações do presidente. Outras transações envolvento o Timão são as confirmações das vindas do goleiro Cássio, ex-Grêmio e PSV-HOL, do meia Vítor Júnior, ex-Atlético/GO, do zagueiro Felipe do Bragantino, e do desconhecido atacante Gilsinho, que atuava no Jubilo Iwata, do Japão.

Gilsinho(8), ex-Paulista de Jundiaí, atuando pelo J.Iwata-JAP

* São Paulo
No Tricolor, nada de confirmado até aqui. O que se sabe é que realmente devem haver mudanças no elenco, depois do fraco desempenho na temporada de 2011. Além da tentativa de trazer Montillo, o clube do Morumbi se dedica a alguns outros nomes. Depois de tentar o atacante Nilmar, que dificilmente deixará o futebol espanhol, o São Paulo reúne forças para contratar o meia Jádson, do Shaktar Donetsk, da Ucrânia, e o volante Fabrício, ex-Corinthians, que não deve ficar no Cruzeiro. Para tentar firmar acerto com esses atletas, a cúpula tricolor tenta envolver outros jogadores na transação. O zagueiro Bruno Uvini, os volantes Jean e Carlinhos Paraíba, e o atacante Henrique são alguns nomes que podem facilmente ser envolvidos em transações com outras equipes.

Fabrício, do Cruzeiro

Quem está mais próximo de vestir a camisa sãopaulina são jogadores de nomes menos chamativos, como o zagueiro Paulo Miranda, do Bahia, e o volante Maicon, do Figueirense. O defensor do time baiano se reunirá, juntamente com seus empresários, com a diretoria do São Paulo para tentar a conclusão do caso. Com o meiocampista do time catarinense, as conversações estão um pouco menos evoluídas, já houve um contato mais concreto, porém ainda resta aguardar conversas do jogador com outras equipes.

O volante Maicon

* Palmeiras
No Verdão, a única novidade concreta é a chegada do lateral esquerdo Juninho. O jogador chega depois de uma ótima campanha com o time de Santa Catarina em 2011 e vem para assumir a camisa 6 palmeirense, principalmente após a saída do jovem Gabriel Silva, que foi para a Udinese-ITA. O time de Palestra Itália tentava a contratação de Kléber, do Internacional, mas a empresa dona dos direitos do jogador não facilitou a negociação, pois não deve ver com bons olhos a ida de Kléber para o Palmeiras nesse momento. Outros atletas que interessam ao time de Luiz Felipe Scolari são o lateral Rafael Cruz, do Atlético/GO, o zagueiro Edson Silva, do Figueirense, e os atacantes Osvaldo, do Ceará, e William, artilheiro e capitão do Avaí. Esse último já demonstrou interesse em jogar no time verde, inclusive já passando à diretoria valores de um possível contrato com o clube. O Palmeiras deve responder ainda essa semana.

Mundial de Clubes: Os donos da casa continuam na festa…


Definidos os adversários dos favoritos ao título do Mundial de clubes, já em disputa no Japão. Na manhã, para os brasileiros (noite em Toyota), desse domingo, o Al Sadd, do Catar, bateu o Esperánce, da Tunísia, por 2 a 0, e agora enfrentará o Barcelona em uma das semifinais. Em um duelo de baixíssimo nível técnico, mas bastante movimentado, o time comandado pelo técnico Jorge Fossati, ex-Internacional, contaram com gols de Al Khalfan e Koni, Darragi descontou para os tunisianos, para garantir presença diante do gigante espanhol.

No outro jogo da noite japonesa, o time da casa, Kashiwa Reysol, enfrentou o Monterrey, do México, na luta pela vaga na semifinal, diante do Santos. Santos que, por sinal, estava presente no estádio. Muricy Ramalho e seu elenco foram acompanhar de perto o próximo adversário. E, depois de 90 minutos de empate, o adversário da próxima quarta-feira foi decidido nos pênaltis.


Durante o tempo normal, o brasileiro Leandro Domingues, ex-Vitória, abriu o placar para os donos da casa, e o chileno Suazo empatou o jogo para o Monterrey. Nas penalidades, o Kashiwa, que ainda conta com o brasileiro Jorge Wagner, ex-São Paulo e Corinthians, foi melhor e conseguiu a vitória por 4 a 3. O argentino Lucho González e o goleiro mexicano Orozco desperdiçaram suas cobranças e apenas Tanaka perdeu sua cobrança para os anfitriões. Leandro Domingues e Jorge Wagner cobraram e converteram.

Confronto decidido e agora os nipônicos serão o obstáculo para o time brasileiro chegar à decisão do Mundial de Clubes. A semifinal ocorrerá na próxima quarta, às 8h30 da manhã, em Toyota. Já a outra semifinal, entre Barcelona e Al Sadd, será um dia depois, na quinta, também às 8h30, em Yokohama. Os vencedores das semifinais se enfrentam, também em Yokohama, no domingo, dia 18.

Vagas tranquilas e outras nem tanto…

Grupo A: Bayern de Munique (ALE), Villareal (ESP), Manchester City (ING), Napoli (ITA).
Mesmo com uma campanha imbatível no Campeonato Inglês, onde lidera com folga, não foi dessa vez que o Manchester City conseguiu ir longe na Liga dos Campeões da Europa. Na última rodada da fase classificatória, os Citizens tinham a difícil missão de bater o já classificado e líder da chave, Bayer de Munique, e ainda torcer para o Napoli não conseguir os três pontos diante do Villareal, que somava em cinco jogos honrosas cinco derrotas. A parte inglesa, o City até fez. Jogando em casa e com gols de David Silva e Yayá Touré, o Manchester venceu o Bayer por 2 a 0. Entretanto, o Napoli foi quem fez a festa. Bateu os espanhóis pelos mesmos 2 a 0 e comemoraram a classificação para as Oitavas, fato que não acontecia desde a temporada 1990/1991.

1 Bayer 13
2 Napoli 11
3 City 10
4 Villareal 0

Grupo B: Inter de Milão (ITA), CSKA Moscou (RUS), Lille (FRA), Trabzonspor (TUR).
No Grupo B, sem maiores surpresas. A Inter de Milão, única equipe de nível mundial da chave, já havia se garantido na próxima fase. Com isso, a briga pela segunda vaga ficou entre os franceses do Lille, os turcos do Trabzonspor e os russos do CSKA. Por falar neles, esses últimos tinham a maior pedreira entre os concorrentes à vaga. Enfrentar a líder Internazionale, no San Siro, na Itália. Mas o time de Vágner Love não se intimidou e conseguiu alcançar a vitória que lhe proporcionou a classificação. Muito também devido ao resultado da outra partida, que beneficiou o time de Moscou, terminando 0 a 0.

1 Inter 10
2 CSKA 8
3 Trabzonspor 7
4 Lille 6

Grupo C: Manchester United (ING), Benfica (POR), Basel (SUI), Otelul Galati (ROM).
GLOBOESPORTE.COM
Eis que um gigante campeão do torneio mais importante da Europa dá adeus à competição na temporada 2011/2012. Jogando fora de casa, o Manchester United, atual vice-campeão, deu vexame e perdeu por 2 a 1 para o Basel, terminando como terceiro colocado do Grupo C com nove pontos. Os suíços asseguraram uma vaga nas oitavas de final com o segundo lugar (11 pontos). O Benfica, que já entrou na última rodada classificado, ficou na liderança da chave com 12 pontos graças ao triunfo de 1 a 0 (gol do paraguaio Cardozo) sobre o lanterna Otelul, em Lisboa. Desde a temporada 2005/2006 que o Manchester United, que tem três títulos da Champions, não era eliminado na fase de grupos.

1 Benfica 12
2 Basel 11
3 Manchester 9
4 Otelul 0

Grupo D: Real Madrid (ESP), Lyon (FRA), Ajax (HOL), Dínamo Zagreb (CRO).
Com Real Madrid já classificado, a situação do Grupo D já estava praticamente definida. O segundo colocado Ajax recebeu os madrilenhos com a confortável vantagem de três pontos e absolutos sete gols de saldo. Só um milagre salvaria o Lyon. Mas, o que era sossego para os holandeses se transformou em pesadelo total. Contra o misto do Real, os donos da casa levaram de 3 a 0, com gols dois gols de Callejón e um de Higuaín. Como tragédia pouca é bobagem, não bastasse a sonora derrota em casa, elenco e torcedores do Ajax ficaram atônitos ao saber o que aconteceu na Croácia. 7 a 1 do Lyon para cima do Dinamo Zagreb. De virada ainda, os anfitriões saíram na frente. Mesmo jogando fora de casa, os franceses atropelaram, tiraram a diferença do saldo de gols e se garantiram na próxima fase. Porém, o jogo entre Dinamo Zagreb e Lyon passa a ser investigado pelas autoridades esportivas européias, por suspeita de entrega e corpo mole por parte dos croatas.

1 Real 18
2 Lyon 8 (Saldo: 2)
3 Ajax 8 (Saldo: 0)
4 Dínamo 0

Grupo E: Chelsea (ING), Valencia (ESP), Bayer Leverkusen (ALE), Genk (BEL).
GLOBOESPORTE.COM
Didier Drogba provou mais uma vez que ainda tem muita lenha para queimar. Aos 33 anos e sob a sombra de Fernando Torres – a maior contratação da Inglaterra –, o marfinense foi o grande nome da vitória que classificou o Chelsea às oitavas de final da Liga dos Campeões. Com dois gols do centroavante, os Blues derrotaram e eliminaram o Valencia, por 3 a 0, nesta terça-feira, no Stamford Bridge, e aliviaram a pressão sobre o então contestado técnico André Villas-Boas. O volante brasileiro Ramires, após passe do próprio camisa 11, completou o marcador. O resultado colocou o time do também brasileiro David Luiz na primeira colocação da chave, com um ponto a mais do que o Bayer Leverkusen, que apenas empatou com o lanterna Genk (três), por 1 a 1, na Bélgica.

1 Chelsea 11
2 Leverkusen 10
3 Valencia 8
4 Genk 2

Grupo F: Arsenal (ING), Olympique de Marseille (FRA), Olympiacos (GRE), Borussia Dortmund (ALE).
GLOBOESPORTE.COM
Em uma virada sensacional conquistada no fim da partida, o Olympique derrotou o Borussia Dortmund por 3 a 2, fora de casa, e conseguiu se garantir nas oitavas de final da Liga dos Campeões. O resultado, alcançado na base da raça e também graças a um golaço de Valbuena aos 42 minutos do segundo tempo, deixou o time de Marselha na segunda colocação do Grupo F com dez pontos, um a menos que o Arsenal, primeiro colocado. Os Gunners foram batidos POR 3 A 1 pelo Olympiacos, que ia se classificando até os franceses marcarem o terceiro gol. Os gregos, entretanto, ficaram apenas em terceiro com nove pontos. Os alemães também estão eliminados.

1 Arsenal 11
2 Olympique 10
3 Olimpiacos 9
4 Borussia 4

Grupo G: Porto (POR), Shakhtar Donetsk (UCR), Zenit (RUS), Apoel (CHI).
O Porto não conseguiu se classificar para as Oitavas de Final da Liga das Campeões da Europa. Mesmo fazendo parte de um grupo relativamente fácil, os portugueses vacilaram muitas vezes e terminaram apenas na terceira colocação, um ponto atrás das zebras classificadas: Apoel, do Chipre (líder), e Zenit, da Rússia. Os russos foram até o Estádio do Dragão e seguraram o empate frente ao Porto. Um 0 a 0 que não foi suficiente para que o time do atacante da Seleção Hulk avançasse na competição. No outro jogo, o Shaktar Donetsk, já eliminado, se despediu da Liga com vitória. 2 a 0 fora de casa em cima do primeiro colocado Apoel.

1 Apoel 9
Zenit 9
3 Porto 8
4 Shaktar 5

Grupo H: Barcelona (ESP), Milan (ITA), Bate Borisov (BIE), Viktoria Plzen (RCH).
No grupo mais óbvio da Liga dos Campeões, o Barcelona entrou com o time totalmente reserva para encarar o BATE Borisov, da Bielorrússia; Carinhosamente apelidado de ‘APANHA Borisov’. E o apelido vem bem a calhar. Em seis jogos, a equipe conseguiu apenas dois pontos e os meninos do Barça não pensaram duas vezes em passar por cima também. Jogando com os brasileiros Thiago e Rafael Alcântara, filhos do ex-jogador da Seleção Mazinho, os catalães contaram com gols de Sergi, Montoya e dois de Pedro, um dos poucos titulares convocados para o jogo, que entrou no segundo tempo, o Barcelona fez 4 a 0 e confirmou a ponta. No outro jogo da chave, Robinho e Alexandre Pato marcaram em jogo que parecia perfeito para o time dos brasileiros. Mas o Milan acabou surpreendido pelo frágil Viktoria Plzen, que acabou igualando o placar nos minutos finais.

1 Barcelona 16
2 Milan 9
3 Plzen 5
4 BATE 2

O sorteio para definir os confrontos das Oitavas de Final da Liga dos Campeões da Europa acontecem no próximo dia 19.

Os melhores do Brasileirão 2011!!


Em cerimônia realizada dessa vez no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, a CBF premiou os melhores do futebol nacional na noite desta segunda-feira. Além dos prêmios individuais, a já tradicional festa Craque do Brasileirão fez outras homenagens na sua ediçaõ de 2011. O jornalista e radialista Luiz Mendes, ícone do jornalismo esportivo no país, e o ídolo corintiano Sócrates, falecido no dia da decisão do Brasileirão, foram destaque em meio às nomeações. A ausência mais sentida foi do elenco do Santos, que embarcou nesta mesma segunda-feira para a cidade de Nagoya, no Japão, onde disputa a partir do dia 14 o torneio Mundial de Clubes. Também receberam prêmios o Tupi, de Minas Gerais, campeão da Série D; o Joinville, de Santa Catarina, campeão da Série C; a Portuguesa que ficou com o título da Segunda Divisão; além, é claro, do Corinthians, Campeão Brasileiro de 2011, que, como já pe de costume nos últimos anos, não levantou a taça após o término da última partida, para receber o troféu na cerimônia, um dia depois. O grande destaque ficou por conta do Vasco, vice-campeão, que contou com cinco nomes consagrados, contando com o quesito de melhor treinador, que ficou com Ricardo Gomes e Cristóvão Borges.

Goleiro:
– Jefferson (Botafogo)

Lateral direito:
– Fágner (Vasco)

Zagueiros:
– Dedé (Vasco)
– Réver (Atlético-MG)

Lateral esquerdo:
– Cortês (Botafogo)

Volantes:
– Ralf (Corinthians)
– Paulinho (Corinthians)

Meias:
– Diego Souza (Vasco)
– Ronaldinho (Flamengo)

Atacantes:
– Neymar (Santos)
– Fred (Fluminense)

Técnico:
– Ricardo Gomes/Cristóvão Borges (Vasco)

Craque do Brasileiro:
– Neymar (Santos)

Árbitro:
– Leandro Vuaden (Fifa-RS)

Revelação:
– Wellington Nem (Figueirense)

Craque da Galera:
– Dedé (Vasco)

Cristóvão Borges e Diego Gomes, filho de Ricardo Gomes, que receberam o prêmio de melhor treinador(Foto: Tom Dib/Agência Lance)

Corinthians Campeão Brasileiro 2011!!!


Foi um 4 de dezembro que começou muito mais triste do que se imaginava. Luto. Partiu um dos maiores ídolos do futebol brasileiro, e principalmente da torcida corintiana. O ex-jogador Sócrates, o ‘Doutor’, faleceu às 4h30 da manhã desse domingo, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo aos 57 anos de idade. Ele havia sido internado pela terceira vez em virtude do problema de cirrose que enfrentava. Dessa vez, uma infecção intestinal foi detectada e acabou se generalizando por outros órgãos. O velório e enterro do ex-atleta aconteceu nessa mesma tarde, em Ribeirão Preto, sua cidade natal.

(Foto: Reprodução/Site oficial do Corinthians)

Paralelo à tristeza, a euforia e ansiedade pela decisão do Campeonato Brasileiro. No estádio do Pacaembu, muitas homenagens ao ídolo Sócrates. Na verdade, homenagens pelo Brasil inteiro. Em todos os jogos da rodada, foi estipulado um minuto de silêncio antes do apito inicial. No palco da principal decisão, no momento do minuto silencioso, os jogadores do Corinthians fizeram o tradicional gesto de comemoração do craque, levantando um dos braços com o punho fechado. Belo gesto.


Porém, quando a bola rolou, o clima mudou totalmente. A emoção e sensibilidade do pré-jogo, se transformou em nervosismo e tensão intensos. O Corinthians inicou com o intuito de partir para cima e intimidar os adversários. A pressão que tentou impor, no entanto, acabou se voltando contra os próprios corintianos, que foram pressionados pelo Verdão. Com chegadas duras e diminuição de espaços, o Palmeiras vetava as chegadas do rival e ainda criava as melhores oportunidades. A cada erro nas investidas, o time alvinegro ficava mais nervoso e isso se transferia para as arquibancadas.

Se aproveitando dos excessivos erros, principalmente de passe, dos donos da casa, o time verde chegava e levava a melhor nos confrontos individuais. O improvisado Wallace, que foi o escolhido de Tite para atuar no lugar do suspenso Ralf, não conseguia segurar os avanços do habilidoso Valdivia, principal arma palmeirense. Enquanto isso, ele, Ricardo Bueno e Luan, além de Patrik, os homens de frente do time de Palestra Itália, se preocupavam bastante também em conseguir faltas próximas a área, para a especialidade da equipe: Marcos Assunção. O camisa 20 arriscou algumas finalizações com a bola parada, mas nada que assustasse a representação corintiana.

Eis que muito longe dali, mais precisamente no Rio de Janeiro, no estádio do Engenhão, o ex-corintiano Nilton fez boa jogada e cruzou na cabeça de Diego Souza, que cabeceou para as redes, abrindo o placarpara o Vasco sobre o Flamengo. Um gol do Palmeiras à essa altura, tiraria o título do Parque São Jorge. Isso enervou ainda mais a partida no Pacaembu. Antes do final da primeira etapa, o Corinthians ainda conseguiu chegar poucas vezes, sem maior perigo. Willian reclamou pênalti, mas o zagueiro Henrique não chegou a tocá-lo no lance dentro da grande área. O árbitro Wilson Luiz Senema, de maneira correta, nada marcou.

Para a etapa final, o Timão voltou melhor. Pressionando no campo de ataque, valorizava mais a posse de bola, e já não errava mais lances bobos como no primeiro tempo. E, para melhorar ainda mais, recebeu uma boa ajuda do palmeirense Valdívia. O camisa 10 do time verde entrou de maneira totalmente exagerada e violenta para cima de Jorge Henrique, com direito a chute por baixo e braço no rosto por cima. Resultado: cartão vermelho e Palmeiras com 10 jogadores em campo.

O apoio da torcida ecoou ainda mais forte no Pacaembu, o time se sentiu ainda mais confiante com um homem a mais, entretanto ainda encontrava muitos problemas em furar a zaga adversária. Muito bem marcado, Alex, que passou despercebido na etapa inicial, não conseguia proporcionar boas situações para Liédson, o que obrigava o artilheiro a vir buscar jogo mais atrás. Sem muitas condições físicas, o camisa 9 também não teve muito sucesso. Por outro lado, o Verdão reencontrou nas bolas paradas de Assunção, a forma de assustar. Em uma delas, o camisa 20 jogou na cabeça de Fernandão, que havia acabado de entrar no lugar de Ricardo Bueno, que desviou e acertou a trave. No rebote, Luan mandou para fora. Antes disso, Felipão já havia trocado também Patrik por João Vítor, após a expulsão de Valdivia.

Se a situação já estava favorável, ficou quase perfeita. O placar eletrônico, que não havia anunciado o gol do Vasco, dessa vez mudou de idéia, e informou a todos os corintianos interessados, que o Flamengo empatava no Engenhão, com Renato Abreu. Mas bem que dizem que para o Corinthians, nada pode ser simples. Quando tudo indicava fácil conquista e ainda uma possível vitória em vista, o ‘zagueiro-volante’ Wallace chegou mais forte em Maikon Leite, que também havia acabado de entrar em campo no lugar de Cicinho, e o corintiano foi mais um a receber cartão vermelho. Mesmo assim, a situação favorecia, e muito. O Palmeiras começou a chegar mais. Até chegou a marcar, mas o gol de Henrique foi anulado por correto impedimento. A aflição e nervosismo desmedido já tomavam conta do Paulo Machado de Carvalho.


Tite mandou a campo o ex-capitão Chicão no lugar de Willian, para fechar o meio de campo. Depois Alex foi embora para a entrada de Edenílson. Passados 40 minutos, Jorge Henrique segurou a bola próximo à bandeira de escanteio e deu o famoso ‘chute no vácuo’, criado e constantemente repetido por Valdivia, principalmente em momentos como aquele, de segurar a bola e provocar o adversário. Os palmeirenses não gostaram do feitiço voltar-se contra os feitiçeiros. João vítor entrou duro no atacante alvinegro, Márcio Araújo chegou correndo na sequência, e a confusão estava formada. Sopapos e agressões aos montes entre os jogadores; Muita gente se batendo, muita gente tentando apartar. Três cartões vermelhos (João Vítor, Luan e Leandro Castán). Mas, assim que o tumulto se dissipou, o árbitro Péricles Bassolz Cortez, que apitava Vasco x Flamengo, indicou o final da partida no Rio de Janeiro. Instantâneamente a notícia chegou em São Paulo, e a festa começou antes mesmo do jogo terminar na capital paulista. Não foram necessários gols. O Corinthians é Campeão Brasileiro de 2011. Corinthians 0 x 0 Palmeiras.

Um título sem muitos heróis, ou melhor, com muitos heróis. Sem um protagonista, mas com muitos atores principais que acabaram por coroar a Fiel Torcida com o quinto título nacional do clube, que completou recentemente 101 anos de história. Méritos a todo esse elenco brioso, com muita garra e merecedor da conquista, e também ao técnico Tite, que encarou todas as adversidades, como a principal delas na queda diante do Tolima na Libertadores, permaneceu no cargo, e agora alcança a glória com o primeiro título nacional em sua carreira.

Nos outros jogos que definiram a classificação final do Campeonato Brasileiro desse ano, o empate no Engenhão coroou a ótima campanha do Vasco, campeão da Copa do Brasil, com o vice. 1 a 1 com o Flamengo, que permaneceu em quarto e alcançou a vaga na Libertadores. O Fluminense, que já havia garantido sua presença na Liberta nas rodadas anteriores, também ficou no empate em 1 a 1 com o Botafogo que, depois de brigar pelo título, principalmente no primeiro turno, decepcionou e amargou uma fraca nona posição. O São Paulo foi bem na rodada final e atropelou o time reserva do Santos em Mogi Mirim. 4 a 1, com dois gols de Luis Fabiano. Mesmo assim, vai ficar de fora da Libertadores por mais um ano. A última vaga na competição continental ficou com o Internacional, que, com um gol de D’Alessandro, venceu o confronto contra o rival Grêmio, e preencheu a última posição do G5.

Já na parte de baixo da tabela, AÍ SIM, FOMOS MUITO SURPREENDIDOS. O Cruzeiro, seria e gravemente ameaçado pelo monstro do rebaixamento de uns tempos para cá, que via cada vez de mais perto a Segunda Divisão pela primeira vez em sua história, conseguiu lavar a alma e escapar da degola em perfeito estilo. Simplesmente 6 a 1. Isso mesmo, 6 a 1. E ainda para cima do principal arquirrival, Atlético/MG. Com tudo isso, foi inútil a vitória do Atlético/PR sobre o Coritiba, que só serviu para tirar o Coxa da Libertadores 2012. Quem vai acompanhar o Furacão, e América/MG e Avaí que já estavam condenados, na Série B é o Ceará, que se despediu da Primeira Divisão perdendo para o Bahia, em Pituaçu, por 2 a 1.

RODADA 38
>Domingo – 04/12/2011
Vasco 1 x 1 Flamengo – Engenhão/Rio de Janeiro(RJ)
Corinthians 0 x 0 Palmeiras – Pacaembu/São Paulo(SP)
Inter 1 x 0 Grêmio – Beira-Rio/Porto Alegre(RS)
Botafogo 1 x 1 Fluminense – Cláudio Moacyr/Volta Redonda(RJ)
Cruzeiro 6 x 1 Atlético/MG – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
São Paulo 4 x 1 Santos – Romildo Ferreira/Mogi Mirim(SP)
Avaí 1 x 1 Figueirense – Ressacada/Florianópolis(SC)
Bahia 2 x 1 Ceará – Pituaçu/Salvador(BA)
Atlético/PR 1 x 0 Coritiba – Arena da Baixada/Curitiba(PR)
Atlético/GO 5 x 1 América/MG– Serra Dourada/Goiânia(GO)

CLASSIFICAÇÃO FINAL
Classificados à Libertadores:
1 Corinthians 71
2 Vasco 69
3 Fluminense 63
4 Flamengo 61
5 Inter 60

6 São Paulo 59
7 Figueirense 58
8 Coritiba 57
9 Botafogo 56
10 Santos 53
11 Palmeiras 50
12 Grêmio 48
Atlético/GO 48
14 Bahia 46
15 Atlético/MG 45
16 Cruzeiro 43

Rebaixados:
17 Atlético/PR 41
18 Ceará 39
19 América/MG 37
20 Avaí 31

(Fotos:Ricardo Matsukawa/Terra)