Arquivo para outubro \17\UTC 2011

Suficientibilidade…

Dessa vez, o time do treinador Tite fez sua parte para se manter na ponta da tabela, independentemente do resultado de seus principais rivais na briga pelo título nacional. Depois de desperdiçar pontos imoprtantes frente a um desses adversários diretos, perdendo do Botafogo no Pacaembu, na última quarta-feira, o Timão foi a Sete Lagoas e conseguiu trazer três pontos na bagagem. Mas, mesmo se tratando de um adversário que briga para não ser rebaixado pela primeira vez em sua história, o confronto não foi fácil.

A torcida do Cruzeiro tentou apoiar, lotou a Arena do Jacaré e empurrou o time anfitrião para cima do Corinthians. Porém, o time comandado pelo técnico Vágner Mancini acabou não correspondendo e fez com que os torcedores saíssem bastante chateados. Desde o início da partida, os mineiros buscaram encurralar o adversário, até pela necessidade da vitória, para deixar a área perigosa de rebaixamento. Mesmo assim, Mancini optou pela cautela, e deixuo o meia Roger no banco, para escalar o terceiro volante, Charles, ao lado de Fabrício e Marquinhos Paraná. Isso fez com que Montillo ficasse sobrecarregado e dificultou a armação do time azul. O camisa 10, por sinal, mais uma vez foi o destaque da equipe. Mesmo sendo observado de perto por Ralf e cia., ele buscou o jogo, se movimentou bastante e criou algumas oportunidades.

Por outro lado, lá na frente, a dupla de ataque Wellington Paulista e Keirrison não empolgava ninguém. K9, por sinal, que fez até alguns gols no Brasileirão, dessa vez voltou a perder chances importantes, como um gol de dentro da pequena área, com o goleiro batido, o que fez com que a torcida perdesse a paciência com o centroavante. Do lado corintiano, Willian e Alex também se movimentaram demais. Entretanto, na hora da finalização, os alvinegros também não estavam com os pés calibrados. A melhor chance, aliás, veio em cabeçada do zagueiro Paulo André, que obrigou Fábio a fazer Sensacional defesa.

Para o segundo tempo, Vágner Mancini também perdeu a paciência com Keirrison e o substituiu por Anselmo Ramón. E a pressão no início da etapa final foi ainda maior do que no começo do jogo. O time mineiro se manteve no campo de ataque por um bom tempo e obrigou os comandados de Tite a se preocuparam muito mais com a marcação. Porém, os paulistas aproveitaram para buscar os contra-ataques. E foi assim que o líder conseguiu abrir o marcador. Aos 19, em contra-ataque de muita velocidade, Edenílson, que havia acabado de entrar no lugar de Willian, recebeu lançamento da defesa e, de maneira inteligente, virou o jogo e acionou Alex. O meia tinha dois cruzeirenses na marcação, mas mesmo assim conseguiu cortar para o meio e, sem querer, servir Paulinho, que chegava de trás e bateu firme, no canto de Fábio, sem chances de defesa.

Atrás no placar, a Raposa se lançou ainda mais ao ataque. Mancini ainda tentou mandar a campo o jovem Élber no lugar de Charles. E o treinador viu a possibilidade de sua substituição dar muito certo aos 27. Após cruzamento da esquerda, Edenílson estava de costas para Élber que subiu em suas costas e desabou. O árbitro Pablo dos Santos marcou pênalti, que claramente não existiu. Errou o juiz. Na cobrança, Montillo, que não tinha nada com isso, tinha a missão de garantir ao menos um ponto para o Cruzeiro. O meia, que não participou de todos os treinamentos da semana, devido a seu filho estar doente e internado na Argentina, não estava com a cabeça legal, mesmo atuando razoavelmente durante a partida. E provou isso na cobrança, mandando a bola muito para cima, lá na arquibancada.

Por reclamação, o técnico Tite ainda foi expulso de campo. O Cruzeiro ainda tentou exercer uma pressão no final do jogo, mas o time se abateu e não encontrou forças para alcançar o empate. Cruzeiro 0 x 1 Corinthians. Com os três pontos, o Timão se manteve na liderança, atingindo 54 pontos, os mesmos do Vasco, porém com uma vitória a mais. O próximo adversário corintiano é o Internacional, em Porto Alegre, no próximo domingo. Já o Cruzeiro, completou inacreditáveis 11 jogos sem vencer. Mesmo assim, com uma combinação de resultados, permanece fora da zona de rebaixamento, com 31 pontos, um a frente do rival Atlético/MG. Também no domingo que vem, a Raposa enfrenta o Atlético/GO, novamente em casa.

Citamos o Vasco, e o time da Colina também está na ponta, porém com uma vitória a menos que o Corinthians. O time de São Januário recebeu em seu estádio o próprio Atlético/MG, que precisava apenas de um empate para sair da zona de degola. Não conseguiu. Com gols de Élton e Fágner, ainda no primeiro tempo, 2 a 0 para os cariocas e liderança dividida na tabela.

Nos outros jogos do rodada 30, o Flamengo conseguiu se manter na briga pelo título, vencendo o Ceará, fora de casa, por 1 a 0, gol de Deivid. O Palmeiras, segue sua sina de maus resultados e a crise aumentou com a derrota frente ao Fluminense, no Canindé. 2 a 1, dois gols de Fred. E, em Goiânia, outro paulista não saiu satisfeito da rodada de domingo. O São Paulo jogou no Serra Dourada, e o Atlético/GO deitou e rolou para cima do Tricolor. Sonoros 3 a 0 e, pela primeira vez no campeonato, o time do Morumbi deixou o grupo dos cinco melhores da competição.

RODADA 30
>Sábado – 15/10/2011
Ceará 0 x 1 Flamengo – Presidente Vargas/Fortaleza(CE)
Figueirense 2 x 1 América/MG – Orlando Scarpelli/Florianópolis(MG)

>Domingo – 02/10/2011
Cruzeiro 0 x 1 Corinthians – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Coritiba 0 x 0 Bahia – Couto Pereira/Curitiba(PR)
Botafogo 2 x 0 Atlético/PR – Engenhão/Rio de Janeiro(RJ)
Ceará 1 x 1 Figueirense – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Palmeiras 1 x 2 Fluminense – Canindé/São Paulo(SP)
Inter 4 x 2 Avaí – Beira-Rio/Porto Alegre(RS)
Santos 0 x 1 Grêmio – Vila Belmiro/Santos(SP)
Vasco 2 x 0 Atlético/MG – São Januário/Rio de Janeiro(RJ)

CLASSIFICAÇÃO P
1 Corinthians 51
2 Vasco 50
3 São Paulo 47
Flamengo 47
5 Botafogo 46
6 Fluminense 44
7 Inter 43
8 Coritiba 40
Palmeiras 40
10 Grêmio 39
11 Atlético/GO 38
Figueirense 38
Santos 38
14 Bahia 34
15 Ceará 32
16 Cruzeiro 30
17 Atlético/MG 27
Atlético/PR 27
19 Avaí 25
20 América/MG 21

Anúncios

Urgente! Kléber fora do Palmeiras!!!

E o clima continua dos piores para os lados da Academia de Futebol palestrina. Na tarde dessa quinta-feira, a diretoria do Palmeiras ratificou a postura do técnico Luiz Felipe Scolari, que afastou o atacante Kléber antes da viagem ao Rio de Janeiro para a partida diante do Flamengo na noite de ontem. Tudo começou com uma conversa de Felipão com todo o elenco, em que o treinador buscava motivar os atletas, mesmo depois do lamentável ocorrido com o volante João Vítor, no qual o jogador foi agredido por torcedores palmeirenses. Devido a isso, alguns jogadores, não somente Kléber, ficaram insatisfeitos com a postura da comissão e diretoria do clube perante a situação. Dada a divergência, Scolari contatou a cúpula alviverde e exigiu o afastamento do camisa 30, como se ele fosse um líder do ponto de vista dos jogadores e também devido a uma série de polêmicas recentes envolvendo o nome do atacante.

Após ser vetado e impedido de viajar com os demais companheiros para o jogo de quarta, Kléber recebeu no final da manhã dessa quinta uma ligação do gerente administrativo do Palmeiras, Sérgio do Prado, que o informou que ele não deve mais se apresentar para treinar com o restante do elenco. A orientação é que o jogador passe a treinar em separado, enquanto aguarda possível acerto com outra equipe. Interessados não devem faltar. Alguns já são comentados, como o Flamengo, que quase o levou no início do Brasilerão, Cruzeiro, clube em que o Gladiador atuou em 2010, e o Corinthians, principal rival palmeirense.

Bota Fogo no campeonato!!!

Carlos Augusto Ferrari e Diego Ribeiro
GLOBOESPORTE.COM

O Corinthians sonhou encerrar o feriado de 12 de outubro com quatro pontos de vantagem na primeira posição do Campeonato Brasileiro. Mas a quinta-feira terá sabor de ressaca graças a um excelente Botafogo. A velocidade e a pressão que o Corinthians exerceu sobre o Dragão na rodada passada desapareceram diante do Botafogo. Caio Júnior travou o meio-campo paulista com a entrada de Felipe Menezes no lugar de Herrera. Abertos pelos lados, Maicosuel e Elkeson impediram as descidas dos laterais Alessandro e Fábio Santos e, de quebra, ainda aproveitaram os espaços dados por eles.

Os cariocas só não abriram o placar aos quatro minutos por um erro da arbitragem. Após cobrança de falta para a área, a defesa corintiana falhou na linha de impedimento, e Fábio Ferreira recebeu em condição legal. Ele tocou para trás, Marcelo Mattos desviou para a rede, mas o lance já havia sido parado sob a alegação de impedimento. A superioridade do Botafogo foi confirmada aos 11. Em contra-ataque muito rápido, Elkeson tabelou com Felipe Menezes pela direita e cruzou. A bola desviou em Moradei e sobrou para Loco Abreu tocar de cabeça na saída de Julio Cesar.

O Corinthians bem que tentou reagir, mas esteve longe de levar perigo. Bem marcados, Willian e Jorge Henrique pouco fizeram. O estilo mais cadenciado de jogo também fez Danilo e Alex sumirem diante do eficiente sistema adversário. Para complicar, Fábio Santos precisou ser substituído pelo improvisado Weldinho depois de se chocar com Fábio Ferreira e sentir dores no joelho esquerdo. O Timão perdeu uma de suas opções de saída para o ataque e passou a se enervar a cada tentativa fracassada.

Com o jogo controlado, o Botafogo foi fatal quando chegou ao ataque. Aos 31, Maicosuel recebeu de Felipe Menezes na entrada da área e bateu forte. A bola desviou em Moradei novamente e matou qualquer chance de defesa. O placar ainda mais desfavorável irritou a torcida e fez o Corinthians entrar em parafuso.

Com Adriano limitado a atuar poucos minutos, Tite transformou Danilo em centroavante no segundo tempo, amparado pelo bom desempenho dele em jogadas aéreas contra o Vasco. Para segurar Maicosuel, o treinador inverteu os laterais Weldinho e Alessandro. O time ganhou empolgação no embalo da torcida, mas não contava com a parede do ex-corintiano Marcelo Mattos à frente de Renan. Em chutes de Paulinho e Leandro Castán, o volante fez cortes decisivos na pequena área para impedir o gol.

Mais recuado, o Botafogo permitiu que o Corinthians adiantasse toda a sua equipe e sufocasse. A pressão aumentou depois que Cortês recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. No lance seguinte, Alex carimbou o travessão em cobrança de falta. Imediatamente, Tite sacou o volante Moradei para a entrada de Adriano, aos 18. Caio Júnior respondeu com o zagueiro Gustavo na vaga do meia Felipe Menezes para trancar ainda mais a defesa.

A presença do Imperador na área mudou a maneira de o Corinthians jogar. O Timão esqueceu os passes rápidos e a movimentação para apostar tudo nas bolas cruzadas. Com o camisa 10 longe da condição ideal, os zagueiros Fábio Ferreira e Antônio Carlos e o goleiro Renan, que já realizavam uma grande partida, se consagraram com tantos cruzamentos para a área. Paulinho e Paulo André ainda tiveram boas chances paradas por belas defesas de Renan. Era o que faltava para acabar de vez a esperança da Fiel e dar ao Botafogo novamente o controle da partida e mais três preciosos pontos. Corinthians 0 x 2 Botafogo.

O Timão permanece com 51 pontos, mas pode perder nesta quinta-feira a liderança que roubou do Vasco no último fim de semana. O clube de São Januário enfrenta o Atlético-PR, na Arena da Baixada. Um empate mantém os paulistas na ponta. Domingo, o compromisso é contra o Cruzeiro, às 16h, em Sete Lagoas. Já o Botafogo reage com uma grande exibição num momento de decisão do torneio e atinge a marca dos 29 pontos, apenas dois abaixo do Corinthians. Os cariocas ainda têm um jogo a menos para brigar pela liderança – contra o Santos, dia 19 de outubro, na Vila Belmiro. Também no domingo, pega o Atlético-PR, às 16h, no Engenhão.

Nos outros jogos do feriadão, o São Paulo recebeu o Inter na Arena Barueri e as equipes empataram em 0 a 0. O resultado pode ser considerado péssimo para os dois lados. Para os paulistas, que completam seu quinto jogo sem vitória, ficou o temor de que o sonho de brigar pelo título, aos poucos, está se transformando em pesadelo. Para o Colorado, a meta de chegar à Libertadores 2012 está ficando cada vez mais complicada. O Grêmio foi atropelado pelo Figueirense em pleno estádio Olímpico; 3 a 1. O lanterna América/MG lavou a alma jogando diante do Ceará e goleou; 4 a 1. E o Palmeiras segue com sua crise sem provisão de melhora. O Verdão foi ao Rio de Janeiro e, pelo menos, conseguiu voltar com um ponto na bagagem. Empate com o Flamengo, 1 a 1.

Liderança com toques imperiais…

Carlos A. Ferrari e Wagner Eufrosino
GLOBOESPORTE.COM


Não poderia haver dia melhor para Adriano vestir pela primeira vez a camisa alvinegra. Na rodada em que os adversários mais próximos na classificação tropeçaram, o Corinthians transformou o fim do domingo em festa e se fortaleceu ainda mais na batalha pelo título. Com pouco mais de 12 minutos em campo, o Imperador nem precisou mostrar o que sabe. Foi um primeiro tempo dos sonhos dos corintianos, comparado com o que a equipe apresentou no primeiro turno. Com os velozes Jorge Henrique e Willian abertos pelos lados, os meias corintianos viraram atacantes.

Danilo, como ocorreu diante do Vasco, lembrou um centroavante, principalmente quando acertou de cabeça o travessão de Márcio logo no sétimo minuto jogado. No lance seguinte, aos oito, Leandro Castán subiu livre na área após cobrança de escanteio de Alex e fez o Pacaembu explodir. Na comemoração, correu até o banco para abraçar Adriano. Foi o primeiro gol dele em 2011.

Sem qualquer reação do Dragão, o Corinthians continuou em cima apostando na rapidez ofensiva. Castán quase fez o segundo em um chutão do campo defensivo. A bola tocou no gramado, encobriu Márcio, mas o goleiro se recuperou e se redimiu do que seria uma falha vergonhosa, fazendo um milagre. Com Adriano no banco, Willian despertou, voltou a jogar bem e marcou após 16 rodadas de jejum. Aos 37, ele ganhou a bola da zaga e bateu com estilo, no canto esquerdo, dobrando a vantagem.

O Timão ainda aproveitaria os espaços dados pelo adversário para ampliar. Alex, aos 41, recebeu passe em profundidade na área e, mesmo marcado, chutou forte, de perna direita, que não é a boa, no alto. Impossível Márcio pegar. Era o que faltava para a equipe terminar o primeiro tempo com a vitória nas mãos e sob muitos aplausos da Fiel.

O Corinthians voltou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto. A agilidade e a troca rápida de passes atrapalharam toda a marcação goiana. Jorge Henrique, no primeiro minuto, perdeu boa chance de marcar de cabeça. Ofensivamente, o Atlético-GO teve uma discreta melhora com a entrada do meia Vitor Junior na vaga do volante Agenor. A melhor chance veio com Anselmo, em chute forte que Julio Cesar mandou para escanteio. Com o resultado praticamente assegurado, o Timão diminuiu o ritmo e passou a fazer o tempo passar.

A torcida queria mais, porém, todos os olhares tinham um destino: o banco de reservas. Aos 21 minutos, com o jogo já morno, surgiram os primeiros gritos de “É, Adriano!”. Algumas vaias surgiram quando Tite chamou Edenílson para entrar. Ainda entrou o peruano Ramírez em campo. Entranto, logo em seguida, o Pacaembu explodiu como um gol, quando o treinador, enfim, decidiu mandar o Imperador a campo. O treinador ainda ouviu alguns insultos dos torcedores por demorar a efetuar a troca. Ovacionado, Adriano pisou no gramado aos 34 minutos no lugar de Alex.

A mudança evidenciou o que aconteceu ao longo dos últimos treinos. Com pouca movimentação e acima do peso, o Imperador quase não ofereceu perigo atuando preso entre os zagueiros. Por pouco a festa não foi completa: aos 46 minutos, Ramirez avançou com a bola dominada, mas querendo presentear o Imperador, diminuiu o passo e procurou o companheiro. Rolou de lado, quando poderia ter finalizado, esperando o arremate de Adriano, mas ele não alcançou e o zagueiro chegou antes. Mas a Fiel foi embora feliz com a volta à liderança e Adriano com o seu retorno aos campos. Corinthians 3 x 0 Atlético/GO.

O Corinthians volta ao topo depois de quatro rodadas em um momento que o torneio entra em sua reta final. Restando dez partidas para término, o Timão chega aos 51 pontos e abre um de vantagem para o Vasco. De quebra, o Alvinegro afasta definitivamente a instabilidade e recupera o bom futebol de quando disparou, acumulando a quarta partida consecutiva sem derrota. O Timão volta a campo contra o Botafogo, quarta-feira, às 21h50, novamente em casa. Já o Atlético-GO vê o fim de sua série invicta de seis partidas, vai para a 12ª colocação e, na próxima rodada, enfrenta o Avaí, quarta-feira, às 16h, na Ressacada, em Florianópolis.

Se o Corinthians é líder, isso se deve muito ao Internacional. O Colorado recebeu o até então primeiro colocado no Beira-Rio e não se intimidou. Com boa atuação do argentino D’Alessandro, sonoros 3 a 0 e agora o cruzmaltino é o segundo. Outro jogo que chamou a atenção foi o clássico paulista entre Santos e Palmeiras. Ao menos chamaria, pela tradição das duas equipes. Porém, o jogo não primou pela qualidade técnica, até pela fase das duas equipes. Uma, de mal com a tabela e há tempos longe de seu melhor futebol e outra pensando mais no Mundial de Clubes de dezembro, no Japão, do que no Brasileirão própriamente dito. No fim, Borges mais uma vez fez sua parte, e marcou o único gol do jogo. 1 a 0 Peixe.

RODADA 28>Quarta – 05/10/2011
Cruzeiro 3 x 3 São Paulo – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)

>Sábado – 08/10/2011
Botafogo 2 x 2 Bahia – São Januário/Rio de Janeiro(RJ)
América/MG 0 x 0 Atlético/MG – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Coritiba 2 x 0 Grêmio – Couto Pereira/Curitiba(PR)

>Domingo – 02/10/2011
Flamengo 3 x 2 Fluminense – Engenhão/Rio de Janeiro(RJ)
Ceará 1 x 1 Figueirense – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Corinthians 3 x 0 Atlético/GO – Pacaembu/São Paulo(SP)
Avaí 3 x 0 Atlético/PR – Ressacada/Florianópolis(SC)
Santos 1 x 0 Palmeiras – Vila Belmiro/Santos(SP)
Inter 3 x 0 Vasco – Beira-Rio/Porto Alegre(RS)

CLASSIFICAÇÃO P
1 Corinthians 51
2 Vasco 50
3 São Paulo 47
Flamengo 47
5 Botafogo 46
6 Fluminense 44
7 Inter 43
8 Coritiba 40
Palmeiras 40
10 Grêmio 39
11 Atlético/GO 38
Figueirense 38
Santos 38
14 Bahia 34
15 Ceará 32
16 Cruzeiro 30
17 Atlético/MG 27
Atlético/PR 27
19 Avaí 25
20 América/MG 21

2012 tá aí…


Nessa sexta-feira, a CBF já se adiantou e divulgou o calendário oficial do futebol brasileiro na temporada 2012. E, mais uma vez, um dos maiores centros de discussões sobre as datas será mesmo a Seleção Brasileira. Isso porque durante a grande atração do futebol nacional, que é o Campeonato Brasileiro, que vai de 20 de maio até 2 de dezembro, haverão 12 chamadas ‘datas Fifa’, que são datas destinadas a amistosos ou torneios internacionais envolvendo seleções do mundo todo, ou seja, desfalques para as equipes que disputam o Brasileirão.

No meio da próxima temporada também acontecerão os Jogos Olímpicos de Londres. Mais especificamente dos dias 25 de julho até 11 de agosto. Porém, o Campeonato Brasileiro não irá parar em meio à Olimpíada. Os jogadores que atuam no país que forem disputar a competição na Inglaterra desfalcarão suas equipes por seis rodadas. O que preocupa mais são os casos de jogadores que atuem nas duas seleções, olímpica e principal, como pode ser o caso do atacante Neymar, que pode ficar de fora do Santos por até 15 rodadas.

De resto, nada de muito diferente nas tabelas, não. Os campeonatos estaduais acontecerão entre 22 de janeiro e 13 de maio. A Copa do Brasil começará dia 7 de maio e terminará dia 25 de julho. E a Segunda Divisão do irá de 19 de maio a 24 de novembro do próximo ano.

Muito barulho por nada…

A noite foi barulhenta em Sete Lagoas. Muita coisa aconteceu no ótimo jogo entre Cruzeiro e São Paulo na noite dessa quarta-feira, na Arena do Jacaré. O duelo foi antecipado já da rodada 28, a ser realizada no próximop final de semana, e foi a única partida da noite. A Raposa precisava urgentemente dos três pontos para não correr de riscos de entrar na zona de rebaixamento já nessa rodada. Já os sãopaulinos queriam a vitória para ultrapassar o rival Corinthians e colar no líder Vasco na ponta da tabela. Mas no fim da partida, ninguém saiu muito satisfeito. Porém, paralelamente, ninguém saiu tão decepcionado também.

Vendo sua equipe em situação extremamente delicada na competição (o time não vence faz oito jogos) e fazendo apenas sua segunda partida no comando do clube, o técnico Vágner Mancini mexeu novamente na formação titular. Dessa vez optou por Keirrison no comando de ataque ao lado do argentino Farías. No Tricolor, a novidade foi Rivaldo. Adílson Batista atendeu ao clamor popular e midiático e mandou a campo o camisa 10 como titular, na vaga de Lucas, suspenso. Além disso, Casemiro começou no banco e Cícero e Carlinhos Paraíba foram mantidos entre os 11.

O jogo se caracterizou pela pegada. Desde o início, não faltaram chegadas mais fortes de ambos os lados. Porém, um toque de categoria já fez com que o placar fosse inaugurado, logo com dez minutos de jogo. E do lado cruzeirense. E tinha que ser dele. Montillo fez boa jogada pela ponta, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro na pequena área para justamente Keirrison dividir com o zagueiro João Filipe e abrir o marcador a favor dos anfitriões.

O gol sofrido fez com que os paulistas partissem para cima dos rivais. E o Tricolor se agigantou, mesmo atrás no placar. Aos 23, Jean mandou um balasso que explodiu na trave direita de um estático goleiro Fábio. Sete minutos depois, foi a vez de Cícero fazer boa jogada, invadir a área e cair em dividida com Fábio. O cruzeirense não chega a encostar no sãopaulino que desabou, entretanto, o árbitro Paulo Henrique Godoy Bezerra marcou pênalti. Na cobrança, Luis Fabiano tinha a chance de fazer o primeiro gol em seu retorno ao time do Morumbi. Porém, não aproveitou. Bateu fraco no canto, e Fábio foi buscar e espalmou.

No segundo tempo, como era de se esperar, o São Paulo partiu para cima e encurralou os donos da casa em seu campo de defesa. O Cruzeiro não conseguia se desvencilhar da intensa pressão, e acabou sofrendo o gol de empate, aos 14 minutos. Após tabela com Luis Fabiano, Cícero bateu por baixo de Fábio e deixou tudo igual. Com o gol de igualdade, os tricolores tomaram conta do jogo e não demoraram a passar a frente no marcador. Aos 20, Dagoberto pegou a bola no meio de campo, foi avançando, dividindo com os adversários, invadiu a área e tocou por cima do goleiro. Golaço!

A sorte cruzeirense foi que o time azul ‘encontrou’ um gol pouco tempo depois. Com isso, retornou ao jogo. Aos 26, após levantamento, a bola rebateu e sobrou para o volante Charles encher o pé e igualar tudo novamente. Festa da torcida que voltou a ter esperanças de conquistar três pontos. Só que Dagoberto, que não vive bom momento fora dos gramados com a cúpula sãopaulina, por outro lado vive fase excepcional dentro das quatro linhas. Aos 32, fez lançamento primoroso da intermediária e achou o lateral Juan, completamente livre na área para cabecear para a rede.

Quando todos imaginavam que a vitória tricolor se confirmaria, mais quatro minutos se passaram e, depois de cobrança de escanteio, Éverton deu a famosa ‘casquinha’ para trás na primeira trave, a bola passou por toda a defesa e encontrou o atacante Anselmo Ramón, que havia acabado de entrar, completamente livre para colocar a cabeça na bola e dar números finais ao confronto. Antes do apito final, ainda deu tempo para o volante Denílson, do Sâo Paulo, dar mais uma sapatada e ser expulso. Mas ficou por isso mesmo. Cruzeiro 3 x 3 São Paulo. Com o resultado, o São Paulo vai à 47 pontos e permanece na terceira posição, um ponto atrás do Corinthians, vice-líder. O Cruzeiro também não muda muito sua situação e fica em décima sexto, agora com 30 pontos, três a mais que o Atlético/PR, primeiro da zona do rebaixamento. Na próxima rodada, o Cruzeiro vai a Salvador, onde encara o Bahia, na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), em Pituaçu. Já o São Paulo receberá, no mesmo dia, o Internacional, às 16h, na Arena Barueri.

Pelo Brasileirão, além de Cruzeiro e São Paulo, jogaram apenas Grêmio e Santos, no estádio Olímpico, em partida adiada, válida ainda pela décima primeira rodada. E as coisas não foram boas para o Peixe mais uma vez. Após perder para Figueirense e Fluminense, o time da Vila Belmiro, dessa vez sem Neymar, que está servindo à Seleção, foi derrotado novamente e agora praticamente dá adeus ao sonho da ‘tríplice coroa’. Com gol do atacante Brandão, o Grêmio venceu por 1 a 0 e se afastou de vez da zona de degola. O time paulista, ainda com uma partida a menos, segue com 35 pontos, em 13º. Já o Tricolor do Sul, subiu para a 9ª colocação, com 39.

Água no chopp fabuloso…

Carlos Augusto Ferrari e Marcelo Prado
GLOBOESPORTE.COM


A festa foi apenas vermelha e preta neste domingo. Na chuvosa tarde em que Luis Fabiano reestreou pelo São Paulo, quem celebrou em um Morumbi lotado foi o Flamengo. A espera pelo Fabuloso acabou, mas o São Paulo esqueceu de jogar no primeiro tempo. Contra um Flamengo cauteloso, as principais peças ofensivas do Tricolor paulista sumiram diante da forte marcação carioca. A defesa, aberta em demasia em alguns momentos, deu alguns sustos em dois belos passes de um discreto Ronaldinho.

Casemiro e Cícero pouco fizeram na função de carregar a bola até o ataque. A equipe sentiu falta de dois laterais mais objetivos. Wellington e Juan praticamente não chegaram à linha de fundo e embolaram as jogadas pelo meio. Pior para Lucas e Dagoberto que, sem espaço, esbarraram na muralha feita por Airton, Renato e Willians. Com 23 minutos, a pouco paciente torcida são-paulina já cobrava a entrada de Rivaldo. Cansado de esperar, Luis Fabiano fez o São Paulo crescer quando recuou para procurar o jogo. Mas as chances não se concretizavam e o primeiro tempo terminou sem gols.

O segundo tempo começou com duas exibições de gala dos goleiros. De um lado, aos quatro, Felipe espalmou um verdadeiro foguete disparado por Luis Fabiano ao girar sobre um marcador. Logo em seguida, foi a vez de Rogério Ceni fazer com os pés uma das defesas mais espetaculares do Brasileirão em cabeçada cara a cara de Deivid. Lucas, a joia do São Paulo fez bobagem aos nove minutos. Depois de perder a bola no ataque, Lucas deixou a perna em Willians e, como já tinha cartão amarelo, foi expulso. O clima de euforia que tomou conta da torcida pelo bom início da etapa final se transformou em raiva quando o técnico Adilson Batista, chamado de “burro”, tirou Luis Fabiano, aos 14, para a entrada do volante Carlinhos Paraíba.

O São Paulo sentiu a perda de seus principais jogadores e viu o Flamengo assumir o controle do jogo. Rogério Ceni fez ainda mais duas grandes defesas, em chute de Thiago Neves e cabeçada de Deivid. A cota de milagres, porém, chegou ao fim, aos 19 minutos. Junior Cesar cruzou com precisão da esquerda, a defesa olhou, e Thiago Neves cabeceou sem chances para o goleiro adversário: 1 a 0.

Perdido em campo, o Tricolor ganhou um alento, aos 24, com a expulsão de Willians depois de uma duvidosa marcação de falta em Carlinhos Paraíba. Adilson Batista, enfim, ouviu a torcida e colocou Rivaldo. Mesmo sem uma grande atuação do pentacampeão, o time melhorou e chegou ao empate, aos 33. De fora da área, Dagoberto acertou uma bomba no ângulo direito de Felipe e fez um golaço para delírio da torcida.

O sonho de fechar o dia com uma virada acabou aos 39 para o São Paulo. Renato Abreu dominou na intermediária e chutou rasteiro. A bola desviou em Carlinhos Paraíba, enganou Rogério Ceni e entrou mansamente. O São Paulo ainda tentou reagir, na base do “abafa” mas o Flamengo segurou os três pontos. São Paulo 1 x 2 Flamengo. A equipe paulista permanece com 46 pontos e perde grande chance de encostar nos adversários acima, Vasco e Corinthians. Quarta-feira, enfrenta o Cruzeiro, às 21h50m, em Sete Lagoas. Já o Flamengo emplaca a segunda vitória consecutiva e sobe para os 44 pontos, seis abaixo do rival carioca. Domingo, tem o clássico contra o Fluminense, às 16h, no Engenhão.

Por falar em Vasco e Corinthians, em dois pontos estava e em dois pontos continuou a distância do líder para o vice-líder. Os ponteiros do Campeonato Brasileiro duelaram intensamente neste domingo e empataram em um estádio de São Januário lotado. Mesmo atrás no marcador em duas ocasiões, o Timão deixa o Rio tendo mais a lamentar. O time paulista perdeu pelo menos três chances nos minutos finais e ainda reclama de dois pênaltis não marcados. Ainda líder, o time cruz-maltino chega aos 50 pontos e na 28ª rodada duela contra o Inter, no Beira-Rio. O Timão, por sua vez, tem 48 e recebe o Atlético-GO no domingo.

Nos outros jogos da rodada 27, o Santos foi até o Rio de Janeiro e acabou derrotado pelo Fluminense, que não para de subir na tabela de classificação, com um gol do zagueiro Márcio Rosário, aos 50 minutos da etapa final. O Atlético/PR, ainda na zona de rebaixamento, conseguiu importante vitória frente ao Inter, na Arena da Baixada. Por falar em rebaixamento, quem se aproxima perigosamente da zona de degola é o Cruzeiro. A Raposa perdeu mais uma, dessa vez para o Grêmio, em Porto Alegre, e está apenas dois pontos na frente do rival Atlético, que encabeça o Z4. E o Palmeiras continua agravando sua crise. Jogando no Canindé, o Verdão não conseguiu superar o lanterna América/MG frente à torcida palmeirense. 1 a 1.

RODADA 27
>Sábado – 01/10/2011
Fluminense 3 x 2 Santos – Raulino de Oliveira/Volta Redonda(RJ)
Bahia 3 x 2 Avaí – Pituaçu/Salvador(BA)
Palmeiras 1 x 1 América/MG – Canindé/São Paulo(SP)

>Domingo – 02/10/2011
Vasco 2 x 2 Corinthians – São Januário/Rio de Janeiro(RJ)
Atlético/MG 1 x 1 Ceará – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Atlético/GO 2 x 0 Botafogo – Serra Dourada/Goiânia(GO)
Atlético/PR 2 x 0 Inter – Arena da Baixada/Curitiba(PR)
São Paulo 1 x 2 Flamengo – Morumbi/São Paulo(SP)
Grêmio 2 x 0 Cruzeiro – Olímpico/Porto Alegre(RS)
Figueirense 0 x 0 Coritiba – Orlando Scarpelli/Florianópolis(SC)

CLASSIFICAÇÃO P
1 Vasco 50
2 Corinthians 48
3 São Paulo 46
4 Botafogo 45
5 Fluminense 44
Flamengo 44
7 Inter 40
Palmeiras 40
9 Atlético/GO 38
10 Figueirense 37
Coritiba 37
12 Grêmio 36
13 Santos 35
14 Bahia 33
15 Ceará 31
16 Cruzeiro 29
17 Atlético/PR 27
18 Atlético/MG 26
19 Avaí 22
20 América/MG 20

Anúncios