Arquivo para 31 de outubro de 2011

Molhado pelo título…

A maioria dos torcedores não é muito chegado em sofrer tanto para conseguir os resultados, mas, se tratando de Corinthians, mais uma vez, podemos dizer que a volta à liderança do Campeonato Brasileiro veio no maior estilo Corinthians. Chuva, muita chuva… dificuldade, muita dificuldade…e sofrimento, muito sofrimento. O time jogou mal, teve de se desdobrar para segurar o Avaí, teve de jogar com um a menos a maior parte da etapa final, mas conquistou três pontos importantíssimos para a manutenção do sonho de conquistar o título nacional.

Antes da partida, o time corintiano entrou com faixa em homenagem ao ex-presidente Lula, diagnosticado com câncer na laringe. Nas arquibancadas, também se fazia clara a mensagem de apoio ao corintianíssimo torcedor ilustre. Dentro das quatro linhas, um começo tenso, no qual os jogadores do Timão se mostraram bastante nervosos e ansiosos, devido à importância da partida. Por jogar em casa, diante de sua torcida e frente ao penúltimo colocado, os comandados de Tite tentaram partir para cima, mas esbarraram no bom time catarinense, sobretudo na marcação no meio, onde Danilo, único homem na armação com a lesão do vetado Alex, ficou sobrecarregado e muito bem marcado. Jorge Henrique, substituto de Alex, também não apareceu muito.

Se o meio não conseguia armar, os laterais também não criavam pelas pontas, e ainda davam espaços na defesa. Mas foi pelo meio que a defesa corintiana vacilou e os visitantes abriram o marcador no Pacaembu. Aos 12 minutos, Lincoln cobrou rápido uma falta na intermediária, acionando William dentro da grande área. O camisa 9 dominou pra cima de Leandro Castán, e só rolou pra trás para Robinho, completamente livre, bater forte no canto de Júlio César, sem nenhuma chance de defesa. 1 a 0 Avaí.

O Corinthians pareceu ter sentido o gol. E também, a chuva. Após sofrer o gol, uma tempestade caiu sobre o Pacaembu, e os corintianos ficaram ainda mais nervosos, errar mais passes e criar ainda menos. O máximo que os donos da casa conseguiram criar foi uma bicicleta de Liédson, que saiu a esquerda do goleiro Felipe. De resto, ainda mais a se lamentar. Aos 30 minutos, Jorge Henrique, que já havia sido atendido pelos médicos por lesão na mão após queda em dividida, sentiu lesão na coxa esquerda e teve de ser substituído. Perdendo o jogo, Tite mandou a única opção ofensiva que tinha no banco, Émerson, que não jogava há cinco jogos, dois por suspensão e três por lesão também na coxa esquerda.

No segundo tempo a chuva deu uma amenizada. Isso fez com que o time corintiano encontrasse mais forças para buscar uma reação. Algumas oportunidades foram aparecendo, principalmente pelo lado direito, com a velocidade e o objetivismo de Émerson. Entretanto, no quinto minuto jogado, os anfitriões sofreram mais um revés. Em um contra-ataque do Avaí, Lincoln arrancava em direção ao gol, ganhando na velocidade de Leandro Castán, que o puxou e, por ser o último homem da defesa, acabou expulso pelo árbitro Leandro Vuaden.

Todo a tática e técnica elaborados por Tite no intervalo caíram por terra naquele momento. Os jogadores passaram a buscar reagir na base da raça e da vontade, típicamente corintianas. Porém, sofriam investidas lá na defesa também. Isso sem contar os erros de passe, que ainda insistiam em se repetir exaustivamente. Só que aos 16 minutos, foi depois de uma falha dos jogadores do Avaí tentando ir ao ataque para matar o jogo, que o Timão empatou. Willian disparou pela direita, com muita velocidade, cortou para o meio, e fez linda enfiada de bola para Émerson bater forte, cruzado, igualando o marcador.

O gol incendiou a torcida no Pacaembu. Os quase 35 mil torcedores presentes passaram a apoiar ainda mais, já pensando na vitória que devolveria a liderança do Brasileirão. E ela veio. E com muito sofrimento. Aos 32 minutos, após cruzamento da direita, Felipe saiu mal, não conseguiu afastar, a bola ficou viva na pequena área, Liédson cabeceou, o goleiro do Avaí ainda tirou a bola com um tapa, mas ela já havia atravessado a linha. Na sequência, a bola ainda bateu no zagueiro Gian, voltou a passear na linha do gol, mas o gol corintiano já havia sido validado anteriormente.

Com um jogador a mais, os catarinenses até chegaram a exercer pressão. Tite ainda colocou Wallace e Edenílson para se proteger dos ataques rivais. O torcedor alvinegro sofreu até o final, mas comemorou o apito final. Corinthians 2 x 1 Avaí. Com a vitória suada, o Timão reassume a ponta, com 58 pontos. A mesma pontuação do Vasco, mas o time paulista leva vantagens no número de vitórias, primeiro critério de desempate (17 contra 16). O próximo compromisso corintiano é no domnigo que vem, dia 6, diante do lanterna da competição América/MG, em Uberlândia. Já o Avaí segue desesperado, na vice-lanterna, com 29 pontos, cinco atrás do Cruzeiro, primeiro fora da zona de descenso. No mesmo da 6, o time do ex-tenista Guga pega o Ceará, em casa.

O Vasco perdeu a primeira colocação pois não conseguiu vencer na rodada 32. O time da colina recebeu o São Paulo, de Émerson Leão, e não encontrou vida fácil. Em um jogo equilibrado, com poucas chances reais, mas boas intervenções dos dois goleiros, Fernando Prass e Dênis, que substituiu o contundido Rogério Ceni, Vasco e São Paulo ficaram mesmo no 0 a 0, o que rendeu aos cariocas apenas um pontinho e a queda para o segundo lugar na tabela. Por outro lado, o Tricolor ficou menos satisfeito ainda. O time do Morumbi despencou muto mais, e já é o sétimo, dividindo ainda a posição com o Figueirense, que bateu o Bahia, e fica atrás do São Paulo apenas no saldo de gols.

Nos outros jogos da trigésima segunda rodada, destaque para o atropelamento do Atlético/PR. E o Furacão foi atropelado por basicamente um nome. Neymar. Simplesmente quatro gols do camisa 11, e o Peixe goleou por 4 a 1. O Botafogo se manteve vivo na briga pela vaga na Libertadores e também pelo título, ao vencer o Cruzeiro por 1 a 0. O Fluminense foi outro que venceu e se manteve na parte de cima da tabela. O Tricolor foi até Fortaleza e superou o Ceará, 2 a 1. E, em Porto Alegre, Ronaldinho Gaúcho reencontrou o Grêmio no estádio Olímpico. E não vai querer se lembrar muito desse momento. Contando com uma atuação discreta do camisa 10, o Fla abriu 2 a 0 e sofreu a surpreendente virada, 4 a 2.

RODADA 32
>Sábado – 29/10/2011
Botafogo 1 x 0 Cruzeiro – Engenhão/Rio de Janeiro(RJ)
Santos 4 x 1 Atlético/PR – Pacaembu/São Paulo(SP)
Ceará 1 x 2 Fluminense – Presidente Vargas/Fortaleza(CE)

>Domingo – 30/10/2011
Vasco 0 x 0 São Paulo – São Januário/Rio de Janeiro(RJ)
Corinthians 2 x 1 Avaí – Pacaembu/São Paulo(SP)
Atlético/MG 2 X 1 Palmeiras – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
Figueirense 3 x 1 Bahia – Orlando Scarpelli/Florianópolis(RJ)
Grêmio 4 x 2 Flamengo – Olímpico/Porto Alegre(RS)
Coritiba 3 x 1 América/MG – Couto Pereira/Curitiba(PR)
Atlético/GO 0 x 1 Inter – Serra Dourada/Goiânia(BA)

CLASSIFICAÇÃO P
1 Corinthians 58
2 Vasco 58
3 Botafogo 55
Flamengo 52
5 Fluminense 50
6 São Paulo 49
7 Inter 48
8 Figueirense 47
9 Grêmio 43
10 Santos 42
Atlético/GO 42
Coritiba 42
13 Palmeiras 41
14 Bahia 36
15 Cruzeiro 34
16 Atlético/MG 33
17 Ceará 32
18 Atlético/PR 31
19 Avaí 28
20 América/MG 25