Leão estreia manso…até demais…

Marcelo Prado
GLOBOESPORTE.COM

O São Paulo perdeu o rumo na temporada 2011. O sonho de ser campeão brasileiro praticamente se transformou em pesadelo, já que o time nem está na zona de classificação da Taça Libertadores da América. E a Copa Sul-Americana já virou passado pelos lados do Morumbi. Na partida que marcou a reestreia do técnico Emerson Leão no comando da equipe, as principais peças novamente negaram fogo, o time perdeu e foi eliminado da competição continental.

As duas equipes entraram em campo no estádio Nicolas Leoz com novidades. No Libertad, o técnico Jorge Burruchaga mudou três jogadores em relação ao time que atuou no Morumbi. No São Paulo, Leão escalou um time mais ofensivo, sacando Cícero e colocando Marlos para dar mais velocidade ao time que já tinha Lucas, Dagoberto e Luis Fabiano. Também no meio-campo, Carlinhos Paraíba reapareceu entre os titulares. Aproveitando-se do seu alçapão, o Libertad começou a partida tomando a iniciativa e não precisou mais do que nove minutos para abrir o marcador, em gol marcado por Aquino, em cobrança de pênalti cometido por Luis Fabiano em cima de Maciel.

Logo depois do gol, Rogério Ceni sentiu uma lesão no tornozelo esquerdo, o mesmo que fraturou em 2009, e a partida ficou paralisada por cinco minutos. Quando a bola voltou a rolar, o São Paulo deu sinal de recuperação em lance de Piris, que recebeu belo passe de Dagoberto e, dentro da área, bateu cruzado, rasteiro, e acertou a trave direita de Medina. O que chamou a atenção no time de Emerson Leão foi que Dagoberto e Lucas trocaram de posição. O atacante atuou de maneira mais recuada e o meia foi para o ataque. O São Paulo, embora não estivesse fazendo uma grande partida, passou a controlar a posse de bola no meio-campo. O time forçava muito o jogo pelo lado esquerdo, com o apoio de Juan. Aos 32, o camisa 6 recebeu assistência de Lucas dentro da área e, cara a cara com Medina, chutou em cima do goleiro adversário. O camisa 1 do Libertad ainda faria mais duas defesas, em chutes de fora da área de Carlinhos Paraíba.

O São Paulo voltou para o segundo tempo com uma alteração. Luis Fabiano, que teve sua pior atuação com a camisa do Tricolor desde que voltou a jogar, sentiu dores na coxa direita e deixou o time para a entrada de Fernandinho, que recebia sua primeira chance após 15 jogos, tempo em que ficou parado se recuperando de uma lesão na perna direita. A partida recomeçou em ritmo bem mais lento. O Libertad, satisfeito com a vantagem, recuou, deu campo ao São Paulo, que, no entanto, voltou desajustado para o campo, sem criar absolutamente nada. Insatisfeito com o desempenho de sua equipe, Jorge Burruchaga também mexeu, colocando Civelli na vaga de Maciel.

Aos 20, o São Paulo chegou a marcar um gol com Rhodolfo, após cobrança de falta de Dagoberto, mas o lance foi anulado, já que o defensor estava impedido. Logo depois, nova mudança na equipe paraguaia: Gamarra, que ficou um mês se recuperando de lesão no joelho, entrou na vaga de Velasquez. Em seu primeiro lance, o atacante deu passe açucarado para Nuñez que, em posição duvidosa, bateu no canto direito de Rogério Ceni. A bola ainda explodiu na trave e bateu na cabeça do goleiro tricolor antes de estufar as redes.

Leão ainda tentou uma última carta, com Cícero na vaga de Marlos. Mas o time, perdido em campo, não deu o menor sinal de recuperação. Ceni ainda saiu sentindo dores, e foi substituído por Denis. O Libertad, por sua vez, esperou o tempo passar e, com sua torcida festejando nas arquibancadas, comemorou demais a vaga. Antes do apito final, Juan foi expulso por reclamação e disse ter sido chamado de macaco pelo árbitro. Libertad/PAR 2 x 0 São Paulo. Os paraguaios, que se garantiram nas quartas de final, terão a LDU (ECU) pela frente na próxima fase do torneio.

Outro brasileiro a se dar mal foi o Botafogo. Com um time misto e desentrosado, o time da estrela solitária foi facilmente goleado por 4 a 1 pelo Santa Fé, em Bogotá, na Colômbia, e está eliminado da Copa Sul-Americana. O jogo de ida, no Engenhão, havia terminado 1 a 1. Diante dos muitos erros de saída de bola e na marcação, o Alvinegro facilitou – e muito – a vida dos colombianos. Nas quartas de final, o Santa Fé vai encarar os argentinos do Vélez Sarsfield, que eliminou o Universidad Católica, do Chile. Já o Flamengo, já se imaginava que não passaria do Universidad de Chile. Os reservas do Flamengo cumpriram, nesta quarta-feira, os últimos 90 minutos do clube na edição 2011 na Copa Sul-Americana. Depois de perder por 4 a 0 no Engenhão, o time precisava ao menos devolver o placar no estádio Nacional de Santiago para seguir sonhando com a classificação. Entretanto, o que se viu em campo foi uma atuação sem brilho e uma nova vitória do Universidad de Chile.

O único time que representará o Brasil a partir de agora é o Vasco. Com juros e correção monetária, o time da colina goleou o Aurora-BOL em ritmo de carnaval por 8 a 3, em São Januário, e se classificou para as quartas de final da Copa Sul-Americana. A equipe conseguiu inverter a vantagem dos bolivianos, que na partida de ida, em Cochabamba, haviam vencido por 3 a 1. O atacante Alecsandro, autor de dois gols, foi o grande personagem da partida. Outro destaque vascaíno foi o meia-atacante Bernardo, que fez dois gols, um deles após driblar com estilo dois marcadores e finalizar com uma bomba de pé direito. Golaço! O time entrou em campo com alguns reservas, apenas quatro titulares. O próximo adversário na Sul-Americana será o Universitário, do Peru.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: