Arquivo para 13 de junho de 2011

Bem vindo de volta, Abel!

E o cartão de visitas (e de boas vindas) ao renomado treinador reestreante no Fluminense ficou a cargo de um atacante que há bem pouco tempo atrás não passava de um desconhecido, uma aposta que se destacou no Figueirense e em quem os dirigentes corintianos apostaram. Aposta muito bem feita. O discreto William não só vem resolvendo as coisas para o Corinthians, como vem fazendo a Fiel torcida não esperar muito dos outros atacantes mais consagrados do elenco, tais como Liédson, que não vem jogando mal, mas não está mais resolvendo as partidas, e Emerson, recém chegado, e ainda menos do célebre Adriano Imperador, que sequer tem previsão de retorno aos gramados para poder estrear com a camisa alvinegra.

Basicamente, o jogo foi definido nos 45 minutos iniciais. O Corinthians começou avassalador. Partindo para cima do Fluminense e prendendo o rival em seu campo de defesa. Voltando ao esquema 4-4-3, que tanto deu certo recentemente no Timão, o técnico Tite promoveu o retorno do xodó Jorge Henrique, agora de contrato renovado, ao time titular e entre os três atacantes de frente, ao lado de William e Liédson. No meio, Danilo, com moral com o treinador, foi não apenas titular e armador da equipe, como o capitão do time, com a braçadeira do zagueiro Chicão que, suspenso, não atuou. Já o Flu já sofreu alterações efetuadas pelo novo treinador. Na lateral esquerda, Júlio César foi confirmado. Os consagrados Deco e Fred (esse último por estar servindo a Seleção Brasileira) retornaram ao time titular e o jovem Tartá ganhou a confiança de Abel para fazer dupla com o camisa 9 tricolor.

Com a blitz corintiana logo de cara, os cariocas não conseguiam passar do meio de campo. E a pressão surtiu efeito. Logo aos 6 minutos, Danilo ganhou a bola na intermediária de ataque, foi para a esquerda e levantou na medida para o pequenino William, 1,71m de altura, subir em meio aos gigantes zagueiros adversários e testar com estilo, para baixo, no canto direito do goleiro Ricardo Berna. 1 a 0 Corinthians.

Aos que imaginaram que o gol acordaria o Fluminense, se enganaram. Abel Braga assistia os seus comandados serem amplamente dominados pelos rivais antes mesmo da metade da etapa inicial. Muito bem marcados, Deco e Conca não conseguiam achar espaço algum para criar jogadas, sofrendo com ótima atuação dos zagueiros corintianos e principalmante do volante Ralf, um monstro no meio campo, que insistia em destruir qualquer possível jogada de perigo do Flu. Aos 23, em lance isolado de perigo, o goleiro Julio César fez defesa Sensacional em cabeçada do zagueiro Gum após escanteio, provando que merece ser o titular, mesmo com a sombra do jovem Renan, contratado junto ao Avaí.

Aos 30 minutos, um contra-ataque mortal dobrou a vantagem dos anfitriões. Após roubar a bola no meio campo, o time alvinegro saiu em disparada rumo ao ataque, a bola ficou com Paulinho que arriscou um chutasso de fora da área. Ricardo Berna conseguiu defender mas, com medo de segurar, preferiu socar a bola, rebatendo para frente. O esperto Liédson se antecipou à marcação e ia finalizar, quando foi derrubado por Leandro Euzébio. Pênalti. Com moral com o chefe e com os companheiros, William, com muito estilo, bateu forte de pé direito e fez a festa da Fiel torcida.

Para o segundo tempo, Abel Braga partiu para o tudo ou nada. Antes mesmo do fim da primeira etapa, o treinador foi obrigado a trocar Deco, que saiu com um problema muscular na coxa direita, por Marquinho. No intervalo, sacou um inoperante Edinho, para mandar a campo o ex-sãopaulino Souza. Cada vez que o camisa 21 tocava na bola, era homenageado pelos torcedores corintianos com uma sonora vaia. Com o ímpeto do adversário e a vantagem no placar, o Corinthians mudou sua postura dentro de campo. Passou a atuar mais fechado e partindo nos contra-ataques. Por outro lado, o time de Parque São Jorge acabou por sofrer intensa pressão.

Para aumentar ainda mais o poderío ofensivo de seu time, Abel sacou Tartá e colocou Rafael Moura no jogo. E o Corinthians não saiu mais do campo de defesa. Para tentar solucionar esses problemas, Tite promoveu a entrada do ex-Fluminense Emerson aos 20 minutos. Jogando contra seu ex-clube, no qual fez o gol do título do último Campeonato Brasileiro e aonde se desentendeu com diretoria e colegas de elenco antes da sua saída, o atacante mostrou muita vontade e entrou com fome de bola. Enquanto isso, o goleiro Julio César ia garantindo lá atrás, fazendo no mínimo mais duas defesas difíceis.

Aos 36, os cariocas pressionavam quando os donos da casa conseguiram encaixar um contra-ataque que não resultou no tão desejado gol de Emerson por muito pouco. Após sofrer uma jogada de perigo, Paulinho deu um bico do campo de defesa e achou Emerson no círculo central. O camisa 11 botou na frente e partiu em velocidade para cima de Mariano, o único defensor que estava no campo de defesa. Passou fácil pelo lateral, se livrou também do goleiro Berna, porém perdeu o ângullo para o chute, parou, esperou a chegada de algum companheiro, tocou no meio e Leandro Euzébio afastou de dentro da pequena área. A partir daí, o Tricolor já abrandou seu ímpeto ofensivo e demonstrou certo conformismo. Melhor para o Corinthians, que administrou e garantiu mais três pontos importantes, se mantendo na parte de cima da tabela. Corinthians 2 x 0 Fluminense.

Com a vitória, o Timão agora soma 10 pontos e mantém a invencibilidade no Brasileirão, com três vitórias e um empate em quatro jogos. O próximo compromisso corintiano agora é apenas no dia 26, ou seja, o torcedor alvinegro só verá seu time em campo daqui duas semanas. O confronto diante do Santos, que seria no próximo domingo, foi adiado devido á participação do Peixe na final da Taça Libertadores, nas duas próximas quartas-feiras. Portanto, o time de Parque São Jorge só joga no outro domingo, dia 26, em outro clássico, contra o São Paulo. Já o Fluminense recebe o Bahia, no Rio de Janeiro, no próximo sábado.

Nos outros jogos da rodada 4, o São Paulo manteve o 100% de aproveitamento. Jogando no Morumbi, os comandados de Paulo César Carpegiani mostraram que a desconfiança para com a equipe e com o treinador estavam equivocadas, ao menos até o momento. Os garotos tricolores mandaram convincentes 3 a 1 para cima do Grêmio e se isolaram na ponta. Também no sábado, o Santos foi mais uma vez com os reservas, dessa vez pegar o Cruzeiro, na Arena do Jacaré. E não fizeram feio, não. Com um gol de Borges no finalzinho, o Peixe ficou com o empate em 1 a 1 e conquistou um ponto importante. O Palmeiras foi até Porto Alegre e também empatou. 2 a 2 com o Inter. E o Flamengo perdia para um Atlético/PR em crise até os 47 minutos da etapa final, quando o atacante Deivid, em sua primeira participação no campeonato, fez o gol que livrou o Rubro-Negro da derrota e manteve o Furacão na lanterna da competição.

RODADA 4
>Sábado – 11/06/2011
Avaí 2 x 2 América/MG – Ressacada/Florianópolis(SC)
Cruzeiro 1 x 1 Santos – Arena do Jacaré/Sete Lagoas(MG)
São Paulo 3 x 1 Grêmio – Morumbi/São Paulo(SP)
Vasco 1 x 1 Figueirense – São Januário/Rio de Janeiro(RJ)

>Domingo – 12/06/2011
Corinthians 2 x 0 Fluminense – Pacaembu/São Paulo(SP)
Inter 2 x 2 Palmeiras – Beira-Rio/Porto Alegre(RS)
Botafogo 3 x 1 Coritiba – Engenhão/Rio de Janeiro(RJ)
Atlético/GO 4 x 1 Ceará – Serra Dourada/Goiânia(GO)
Atlético/PR 1 x 1 Flamengo – Arena da Baixada/Curitiba(PR)
Bahia 1 x 1 Atlético/MG – Estádio Pituaçu/Salvador(BA)

CLASSIFICAÇÃO P
1 São Paulo 12
2 Corinthians 10
3 Palmeiras 8
4 Atlético/MG 7
Botafogo 7
Figueirense 7
Vasco 7
8 Fluminense 6
Flamengo 6
Atlético/GO 6
Grêmio 6
12 Inter 5
Santos 5
14 América/MG 4
Ceará 4
16 Coritiba 3
17 Cruzeiro 2
Bahia 2
19 Atlético/PR 1
Avaí 1

Anúncios
Anúncios