Arquivo para 22 de junho de 2010

Festa, agora, só dos visitantes…

GLOBOESPORTE.COM

Foi uma festa incompleta, com sorrisos constrangidos e vuvuzelas sem força. Diante das arquibancadas do Free State tingidas de amarelo, a África do Sul enfim arrancou sua primeira vitória na Copa do Mundo. Era tarde. Sob os olhares do presidente do país, Jacob Zuma, nem os dois gols ainda no primeiro tempo, marcados por Khumalo e Mphela, não foram suficientes para garantir o salto heróico às oitavas de final, já que pela diferença no saldo de gols, os anfitriões teriam que marcar no mínimo mais dois sem tomar nenhum. Não foi o que aconteceu. No final, Malouda ainda diminuiu. Os 39.415 torcedores aplaudiram seus ídolos ao fim do jogo, mas a euforia que envolve o time da casa sofreu o golpe definitivo. Pela primeira vez em toda a história das Copas, o país sede não avança para a segunda fase da competição. Com Uruguai e México classificados no grupo A, os Bafana Bafana morrem abraçados com os franceses, que voltam para casa levando na bagagem uma crise do tamanho de Paris e uma das piores campanhas de sua história. África do Sul 2 x 1 França.

Classificação Final
Grupo A
1 Uruguai 7 (4)
2 México 4 (1)

3 África do Sul 4 (-2)
4 França 1 (-3)

*( ) – saldo de gols

Anúncios

Arriba Uruguai!!!

GLOBOESPORTE.COM

As suspeitas de um possível jogo de compadres, em que um empate classificaria as duas equipes, não se confirmaram. Em uma partida disputada normalmente, até porque o vencedor muito possivelmente evitaria enfrentar a temida Argentina – a virtual vencedora do Grupo B – já nas oitavas de final, o Uruguai venceu o México, garantindo a primeira posição do Grupo A e e voltando às oitavas de final de um Mundial, fase que não disputava desde 1990, quando foi derrotado pela Itália por 2 a 0.

O México foi a campo com uma formação diferente da que havia usado nas duas primeiras partidas, lançando logo de início o veterano Blanco de 37 anos, e a revelação Andrés Guardado, ambos com forte característica ofensiva. Já o Uruguai manteve seu esquema de jogo, substituindo apenas o zagueiro Godin, lesionado, por Victorino. A partida começou com as duas equipes buscando o ataque. Os três atacantes uruguaios marcavam a saída de bola dos mexicanos, não dando espaços para a criação das jogadas.A marcação sob pressão no ataque, no entanto, deixava o time menos compacto, e o México, quando conseguia furar o bloqueio inicial, ia ao ataque com Perigo. Franco e Blanco tiveram chances de marcar, mas a pesada zaga uruguaia formada por Lugano, Victorino e Fucile conseguiu conter os atacantes sem muita dificuldade e ainda ia ao ataque.

As duas equipes jogavam de forma aberta, buscando a vitória e a liderança do grupo. A partir dos 38 minutos do primeiro tempo, diminuíu-se o ritmo de jogo, especialmente por se saber do resultado parcial da outra partida do grupo, em Bloemfontein. Os uruguaios, no entanto, ainda tentaram mais uma vez ir ao ataque, e foram bem sucedidos. Após cruzamento perfeito de Cavani da direita, Suárez cabeceou livre, no segundo pau, abrindo o placar aos 43 minutos.

Na volta para o segundo tempo, os mexicanos voltaram com mais um atacante no time: Pablo Barrera em lugar do jovem meia Andrés Guardado. A mudança, no entanto, não alterou o panorama do jogo. Os uruguaios seguiam pressionando e buscando o segundo gol, principalmente com Cavani pela direita. Sem o auxílio de Guardado, Giovani dos Santos ficou encarregado da criação de jogadas da equipe. Mal em campo, ele não conseguiu levar o time ao ataque. A entrada de Hernandez no lugar de Blanco foi a última tentativa do técnico mexicano de dar agressividade ao seu time. Da metade do segundo tempo em diante, o México passou a jogar mais no campo do Uruguai, que, fechado, aguardava a chance de puxar os contra-ataques.

Em disputa pelo alto, o volante Diego Pérez levou a pior.


Conforme o tempo passava, o Uruguai se retraía, se defendendo e fazendo o tempo passar. Os mexicanos, por sua vez, se mostravam irritados e discutiam com os sul-americanos em campo. Nos acréscimos, o México ainda tentou empatar com um chute de fora da área de Giovani dos Santos, que passou longe do gol de Muslera. Como o resultado garantia as duas equipes na próxima fase do Mundial, os jogadores tocaram a bola e esperaram o apito final do árbitro, que aconteceu aos 48 minutos, para alívio e comemoração de todos os jogadores e membros das comissões técnicas, que festejaram muito no gramado. México 0 x 1 Uruguai.

Hora de decisões…

Grupo A

1 Uruguai 4
2 México 4
3 França 1
4 África do Sul 1

No grupo da anfitriã, a situação está feia para os donos da casa e também para os atuais vice-campeões do mundo. África do Sul e França se enfrentam nessa terça-feira, á espera de um milagre. Quem quiser se classificar precisa golear o rival e torcer para que não haja empate entre México e Uruguai. Nesse confronto, a igualdade garante as duas equipes nas Oitavas. Quem vencer garante a ponta.

Terça-Feira – 22/06
África do Sul x França – Bloemfontein
Uruguai x México – Rustemburgo

Grupo B

1 Argentina 6
2 Coréia do Sul 3
3 Grécia 3
4 Nigéria 0

Também nessa terça-feira, sairão os adversários dos classificados do Grupo A. A Argentina, com duas vitórias em dois jogos, já se garantiu. Joga por um empate diante da Grécia para permanecer na primeira posição. Os gregos precisam da vitória para continuar com chances, dependendo do resultado dos sulcoreanos diante da Nigéria, que também tem chances, mas precisaria golear a Coréia.

Terça-Feira – 22/06
Argentina x Grécia – Polokwane
Nigéria x Coréia do Sul – Durban

Grupo C

1 Eslovênia 4
2 Estados Unidos 2
3 Inglaterra 2
4 Argélia 1

Grupo D

1 Gana 4
2 Alemanha 3
3 Sérvia 3
4 Austrália 1

Grupo E

1 Holanda 6
2 Japão 3
3 Dinamarca 3
4 Camarões 0

Grupo F

1 Paraguai 4
2 Nova Zelândia 2
3 Itália 2
4 Eslováquia 1

Grupo G

1 Brasil 6
2 Portugal 4
3 Costa do Marfim 1
4 Coréia do Norte 0

Grupo H

1 Chile 6
2 Espanha 3
3 Suíça 3
4 Honduras 0

Surra portuguesa, com certeza! Chi Chi Chi, le le le… e Villa da Alegria…

GLOBOESPORTE.COM


Antes de Portugal, três das mais bem cotadas seleções que disputam a Copa do Mundo da África do Sul haviam sucumbido na Cidade do Cabo. França, Itália e Inglaterra não conseguiram vencer seus jogos no charmoso estádio Green Point. A equipe de Cristiano Ronaldo destruiu essa sequência e com estilo. Despachou nesta segunda-feira a Coreia do Norte com a maior goleada deste torneio e a sexta maior da história das Copas. Raul Meirelles, Hugo Almeida, Simão, dois de Tiago, Liédson e Ronaldo marcaram e eliminaramos nortecoreanos sem dó e nem um pouco de piedade. Portugal 7 x 0 Coréia do Norte.

GLOBOESPORTE.COM

Com ajuda de um mago e um gol “sul-africano”, o Chile derrotou a Suíça, nesta segunda-feira, em jogo válido pela segunda rodada do Grupo H da Copa do Mundo. Tendo pela frente uma forte defesa, que bateu o recorde de seleção a ficar mais tempo sem ser vazada na história do torneio, os sul-americanos contaram com uma linda jogada de Valdivia e um tento de Mark González, que nasceu em Durban, para praticamente assegurar sua passagem às oitavas de final. Chile 1 x 0 Suiça.

Thiago Dias
GLOBOESPORTE.COM

Sabe aquela Espanha que encantou o planeta na Eurocopa de 2008, liderou o ranking da Fifa por muito tempo e foi apontada como candidata para vencer a Copa do Mundo? Pois é, ela finalmente apareceu na África do Sul nesta segunda-feira. Após a decepcionante derrota para a Suíça na estreia, a Fúria apresentou bom futebol, venceu Honduras, no Ellis Park – com direito a pênalti perdido por David Villa, autor dos dois gols – e agora só depende de si para ficar com o primeiro lugar do Grupo H, evitando um provável confronto com o Brasil nas oitavas de final. Espanha 2 x 0 Honduras.

Anúncios