Arquivo para 15 de junho de 2010

Não convence, mas vence…


Era de se esperar. Estréia, nervosismo, ansiedade, insegurança. Tudo isso sem contar o treinador no banco e seu estilo visível na Seleção Brasileira. Não foi o pontapé inicial que se esperva do Brasil rumo ao hexa. Mesmo porque o Brasil normalmente nunca estréia em Copas enchendo os olhos dos torcedores. Mas o time de Dunga melhrou, principalmente na segunda etapa, e dá indícios de que, de uma forma ou de outra, mais uma vez é um dos principais candidatos a faturar o título.

Na escalaça inicial, nenhuma surpresa. Os primeiros 11 numerados incialmente saíram jogados, o que era de se esperar também. Do lado coreano o destaque se fez presente antes mesmo do início da partida. Durante o hino nacional de seu país, o atacante Jong Tae Se se emocionou muito e não conteve as lágrimas. Mas a bola rolou e ficou claro que o nervosismo não era privilégio da Coréia do Norte, os brasileiros também apresentava muita insegurança e sofria ataques dos asiáticos.

Os rivais se fechavam muito bem e o Brasil não conseguia encontrar espaço algum para furar o bloqueio adversário. A opção eram chutes de longe, então. Porém, nem isso o time verde e amarelo conseguia efetuar com sucesso, já que a maioria das conclusões eram bloqueadas antes de se concretizarem. Dunga não se manifestava muito no banco. Passivo. O primeiro tempo acabou sendo comum aos que estão acompanhando a maioria dos jogos dessa Copa do Mundo. Um jogo truncado, sem muitas chances de gol e muito fraco técnicamente.

Na etapa final, Dunga deve ter indicado aos jogadores que deveriam se movimentar um pouco mais para tentar fugir da forte marcação dos nortecoreanos. Não de maneira totalmente satisfatória, mas os brasileiros começaram a se mexer um pouco mais, principalmente explorando as pontas no campo de ataque. E aos 10 minutos, trocava passes no setor ofensivo até que a bola chegou nos pés de Elano. O camisa 7 esperou a passagem rápida de Maicon, até então bem tímido nas descidas. O lateral recebeu o ótimo passe, chegou à linha de fundo e, de maneira precisa, viu o goleiro Myonge Guk saindo para interceptar o cruzamento, e mandou direto para o gol, fazendo a bola morrer no canto direito da trave dos asiáticos. Primeiro gol brasileiro na Copa. 1 a 0.

O gol fez bem ao time, que se soltou e ganhou um pouco mais de confiança na partida. A movimentação melhorou bastante, mas faltava capricho na finalização, principalmente de Luís Fabiano, um tanto quanto apagado na estréia. Mas, aos 26, saiu o segundo. Robinho saiu para o jogo, pediu bola, recebeu e achou Elano, entrando livre pela direita. Com uma ótima enfiada de bola, o camisa 7 nem precisou dominar e, com um toque só, com categoria não deu chances ao goleiro e dobrou a vantagem. 2 a 0 Brasil.

Mesmo fazendo o gol, Elano saiu de campo para dar lugar a Dani Alves. Cinco minutos depois, Dunga surpreendeu (‘Aí sim…’) e mandou a campo o atacante Nilmar no lugar de Kaká, praticamente despercebido durante o tempo que permaneceu em campo. Robinho passou a jogar mais recuado. Nilmar entrou com a sua disposição costumeira. Dunga ainda susbstituiu seu ‘homem de confiança’, Felipe Melo, por Ramires (‘Fomos surpreendidos novamente…’). A imagem da Seleção sairia bem positiva apesar de tudo SE… não tivesse conseguido o feito de tomar um gols da Coréia do Norte. Aos 43, lançamento feito do meio-campo para a intermediária. Maicon vacilou, Yun Nam cortou um também desatento Lúcio e bateu forte, na saída de um Júlio César diferente do que estamos acostumados a ver. Em um lance anterior, Tae Se arrancou em contra-ataque, ficou de frente para o arqueiro brasileiro, e ele não saiu, ficou esperando a conclusão, a sorte foi que Juan chegou a tempo de fazer o corte. Talvez resquícios da contusão. Mas de todo jeito, tomamos o gol, sorte que não havia mais tempo para nada. E ficou assim mesmo. Brasil 2 x 1 Coréia do Norte.

De saldo, três pontos, a liderança do Grupo G e Dunga afirmando que a equipe tem mesmo que melhorar muito. Isso já é uma tranquilidade para nós.

Desempenho dos Brasileiros:
1- Júlio César – regular
2- Maicon – bom
3- Lúcio (c) – bom
4- Juan – bom
6- Michel Bastos – regular
8- Gilberto Silva – bom
5- Felipe Melo – ruim
7- Elano – bom – *melhor da partida*
10- Kaká – ruim
11- Robinho – bom
9- Luís Fabiano – ruim
(13- Dani Alves – regular)
(21- Nilmar – bom)
(18- Ramires – ruim)

Lucas Basílio

Anúncios

Coadjuvantes todos igualados…

GLOBOESPORTE.COM

O jogo no estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo, era marcante para as duas equipes. De um lado, a Eslováquia, apesar de ser considerada pela Fifa como uma das herdeiras do legado da antiga Tchecoslováquia, disputava seu primeiro jogo de Copa do Mundo como nação independente. Do outro, a Nova Zelândia voltava a jogar uma partida de Mundial após 28 anos. E após o apito final, apesar do empate, só a seleção da Oceania teve motivos para comemorar. Em uma partida de baixo nível técnico, com muitos passes errados e falhas técnicas, os eslovacos saíram na frente, mas sofreram o empate nos acréscimos no duelo de encerramento da primeira rodada do Grupo E da Copa 2010. Os dois foram de cabeça. Em impedimento, Sestak abriu o placar aos cinco minutos da etapa final. E Reid empatou aos 48 minutos. Nova Zelândia 1 x 1 Eslováquia.

Marcos Felipe
GLOBOESPORTE.COM

Próximos adversários do Brasil no Grupo G da Copa do Mundo, Costa do Marfim e Portugal desapontaram na estreia e não passaram de um empate no estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elizabeth, nesta terça-feira, demonstrando que estão, de fato, na briga pelo segundo lugar da chave. A partida até que teve alguns momentos de emoção, principalmente nos pés de Cristiano Ronaldo na etapa inicial, entretanto foi marcada mais pelo nervosismo e forte marcação de ambas equipes. Drogba, que chegou a ser dado como carta fora do baralho do Mundial, superou a operação no braço direito e entrou no segundo tempo com uma tala no local. Mas pouco produziu. Costa do Marfim 0 x 0 Portugal.

Na próxima rodada, os marfinenses encaram a seleção brasileira no estádio Soccer City, em Joanesburgo, no próximo domingo, às 15h30m (de Brasília). Já os lusos pegam a Coreia do Norte no dia seguinte, na Cidade do Cabo, às 8h30m (de Brasília). O empate poderá ter facilitado o trabalho do Brasil na primeira fase, caso a seleção de Dunga cumpra o papel de vencer a Coreia do Norte na estréia.

Anúncios