Arquivo para abril \30\UTC 2010

Vai ter trabalho, meu filho…


Realmente pode se observar que o treinador tricampeão brasileiro terá muito trabalho para fazer os seus atuais comandados entrarem nos eixos. Principalmente devido ao número de desfalques que Muricy tem. Entre eles, principalmente, o maior destaque da equipe Tricolor. Diagnosticado com uma apendicite aguda, Fred já passou por cirurgia e deve voltar aos trabalhos com bola apenas em 15 dias. Conca ainda estava suspenso. Aí a coisa ficou mais difícil para o Flu.
Mesmo assim, os comandados de Muricy se superaram desde o início, buscando causar boa impressão ao novo ‘professor’. Aos 12 minutos, Mariano recebeu na direita e disparou. Olhou uma vez para a área e cruzou. No meio, o substituto de Fred, André Lima, bem colocado, subiu sozinho entre os zagueiros e cabeceou no canto direito do goleiro Victor, abrindo a conta para o time da casa.

Era tudo que os tricolores queriam. Um gol antes dos 15, para tranquilizar o time. Não foi o que aconteceu. A desvantagem não intimidou os gaúchos. Quatro minto após a abertura do placar, os visitantes foram a frente e já igualaram o marcador. após uma sequência de toques rápidos, Jonas recebeu na área, pelo lado esquerdo, se livrou de dois marcadores e passou para Douglas na marca do pênalti. O chute de primeira parou no zagueiro Gum, mas o camisa 10 conseguiu aproveitar o rebote e escorou de cabeça: 1 a 1.

Os cariocas sentiram o gol, e passaram a ser pressionados pelo Grêmio. E a pressão deu resultado e os comandados de Silas alcançaram a virada aos 31. Borges recebeu de costas para a zaga, girou para se livrar da marcação e tocou entre dois defensores. Deixou Jonas na cara do gol. Toque rasteiro, no cantinho de Rafael.

Aos 45 da primeira etapa, uma esperança para os anfitriões. O zagueiro Rodrigo entrou de forma dura para cima de Welington Silvae acabou expulso. A expulsão de Rodrigo fez os dois técnicos mexerem em suas equipes. Muricy tirou o zagueiro Digão e lançou o meia Equi Gonzalez. Tinha de atacar. Silas também mudou. Precisava defender. O técnico sacou o volante Willian Magrão e tentou reconstruir a zaga com Rafael Marques. No meio, Hugo substituiu Leandro.

O jogo se transformou de ataque contra defesa, com o Flu permanecendo todo o tempo no campo de ataque. Porém, isso não era suficiente para empatar o jogo. E no melhor estilo ‘quem não faz…’, ao 27, Douglas chamou a responsa, partiu da intermediária, fez ótima jogada individual, passou por Diguinho, superou Everton na corrida e bateu cruzado. 3 a 1.

O Fluminense foi à luta. Todo ataque, buscou pelo menos diminiur a vantagem gremista para o segundo jogo. Cinco minutos depois de sofrer o terceiro, Everton cruzou da direita, o goleiro Victor saiu mal do gol – depois de o árbitro não marcar um empurrão de Leandro Euzébio em Ozeia – e Equi Gonzalez aproveitou para diminiur e inflamar o Maracanã. A pressão continuou, mas a limitação técnica da equipe fez com que a derrota fosse inevitável. Fluminense 2 x 3 Grêmio.

Com a derrota em casa, a missão do time de Muricy é vencer por dois gols de diferença no estádio Olímpico, na próxima quarta-feira. Nos outros jogos das Quartas-de-Final, o Atlético/MG, de Vanderlei Luxemburgo, recebeu os meninos do Santos, que foram surpreendidos. Com três gols de Diego Tardelli, o Galo superou o Peixe por 3 a 2 e agora joga por um empate para eliminar o time sensação do momento. Em Salvador, o Vitória não deu muita chance para o Vasco. Venceu por 2 a 0 e os cariocas agora tem que vencer por três gols de diferença se quiserem se classificar para as semifinais. E no estádio Palestra Itália, o Palmeiras voltou a vencer sem convencer. Com um gol de pênalti(duvidoso) aos 47 minutos do segundo tempo, o Verdão bateu o Atlético/GO por 1 a 0 e agora joga pelo empate na semana que vem para continuar na briga pelo título da Copa do Brasil.

Anúncios

Mengo até debaixo d’água…

E foi debaixo de muita água que o Flamengo saiu na frente do Corinthians na briga por uma vaga nas Quartas-de-Final da Taça Libertadores da América.

Com o comando de Rogério Lourenço, o Flamengo foi motivado encarar o Timão, time de melhor campanha na primeira fase da competição. O novo comandante da equipe Rubro-Negra não fez muitas mudanças, apenas a entrada do jovem Rômulo, no lugar de Toró. De resto, o que mudou no Fla foi a postura. Com Adriano e cia. demonstrando bastante vontade. Já o Corinthians foi com o bom e velho esquema tradicional e um tanto quanto defensivo de Mano Menezes. E aquela velha dependência do ídolo Ronaldo. Com a forte chuva o bom futebol que era esperado para o confronto não apareceu. A bola parava nas poças e os jogadores eram obrigados a jogar por cima, dificultando o toque de bola e tornando o jogo mais violento. Tanto que as chances de gol eram raras e as equipes pouco criaram na etapa inicial.

A partir dos 30 minutos, a chuva diminuiu. E os donos da casa, se animaram e começaram a ter um maior volume de jogo. Se não criavam chances tão claras, ao menos rondavam o campo de defesa corintiano e assustavam nas investidas. Entretanto, a ascensão rubro-negra ficou abalada dois minutos depois. Michael, que já tinha amarelo por falta em Elias, deu uma entrada imprudente em Dentinho a poucos metros do juiz. Ele foi novamente advertido e recebeu o vermelho.

No segundo tempo, a chuva ficou mais fraca e com o gramado em melhores condições, as equipes passaram a conseguir jogar mais pelo chão. Aos cinco minutos, a única chance clara dos visitantes durante os 90 minutos. Moacir tocou para Dentinho na direita, e recebeu na pequena área. O lateral completou diante de Bruno, que conseguiu desviar com o pé esquerdo, salvando o Flamengo. A bola passou rente ao ângulo esquerdo.

Mas mesmo com um jogador a menos, o que não foi possível se perceber durante o jogo todo, o Fla se lançava ao ataque e criava as melhores chances. E por pouco, os rubro-negros não comemoraram aos 15 minutos. Juan cobrou falta sobre a área. A bola quicou e tocou no travessão, diante de um Julio Cesar assustado, com os braços recolhidos. No rebote, Adriano completou de voleio, à direita da meta, mas o árbitro já marcara falta do Imperador. Lá no ataque adversário, um já comum apático Ronaldo, que não acertava nada. Aos 18, o Fenômeno não conseguiu dominar um cruzamento da direita, dando uma verdadeira canelada. Não seria exagero dizer que o atacante era mais eficiente para o Rubro-Negro do que o Timão. O Fenômeno não só não ajudava os paulistas, como atrapalhava e acabou por estragar todas as oportunidades de ataque que passavam pelos seus pés.

Se a torcida flamenguista já estava satisfeita com o fraco desempenho de Ronaldo, desafeto dos Rubro-Negros, em seguida, teve mais razões para festejar. Léo Moura fez lançamento para Juan pela esquerda, o lateral esquerdo invadiu a área e, de maneira ingênua e desnecessária, Moacir, que não vinha fazendo uma partida ruim, calçou Juan e cometeu pênalti incontestável. Adriano cobrou, não deu chances para o goleiro Júlio César, colocou o Fla na frente e não comemorou o gol.

Mano Menezes tentou mudar o time. Mantendo Ronaldo, visivelmente o pior em campo, sacou Danilo e Dentinho, mandou Jorge Henrique e Iarley, mas nada mudou. O time conseguiu mais posse de bola, até porque o time da casa, em vantagem, tinha um homem a menos e buscava segurar a vantagem. O Corinthians avançou, passou a cercar a área do adversário, mas teve dificuldades para superar o bloqueio rubro-negro. E foram os cariocas que tiveram mais uma excelente oportunidade. Aos 32, Willians fez boa jogada e lançou Adriano na área. O atacante cabeceou com estilo, e Julio Cesar fez grande defesa, espalmando para o travessão. No rebote, Roberto Carlos afastou.

Apesar da clara dificuldade de dominar a bola, Ronaldo criou sua única boa jogada aos 37 minutos. O atacante arrancou pela esquerda, escapou da marcação e cruzou. A situação estava tão difícil para o Timão que Iarley e Jorge Henrique subiram juntos, trombaram e perderam ótima chance. Foi a última jogada de Ronaldo. Apesar de tardiamente, Mano resolveu tirar o atacante e colocou Souza em seu lugar. R9 saiu muito vaiado, pelas duas torcidas. Mas era tarde demais para os corintianos buscarem a reação. Ficou assim mesmo. Flamengo 1 x 0 Corinthians.

Com a derrota, o Corinthians terá que vencer o jogo de volta, quarta que vem, no Pacaembu, se quiser permanecer vivo em busca do sonho do título inédito da Libertadores, no ano do centenário. Apesar do péssimo desempenho, o técnico Mano Menezes afirmou na entrevista coletiva que Ronaldo permanece no time titular no próximo confronto, por ainda ser o melhor que tem para o ataque no grupo, ” o desempenho dele é melhor do que os outros na comparação que fazemos“. Porém, a moral do atacante não é mais a mesma. A torcida corintiana parece ter perdido a paciência com o maior artilheiro das Copas do Mundo. Depois de sair vaiado por mais uma péssima exibição, Ronaldo foi criticado pela torcida. No site de ralcionamentos Orkut, imediatamente após o jogo foram criadas diversas comunidades ‘Fora Ronaldo’, com depoimentos de torcedores que se cansaram de seguidas exibições ruins do Fenômeno.

Os outros brasileiros que atuaram pelas Oitavas da Libertadores foram o São Paulo e o Internacional. Os paulistas, tricampeões da competição, foram até Lima, no Peru, encarar o Universitário e não encontrou facilidade. Principalmente depois de perder Richarlyson, expulso, o Tricolor não conseguiu superar os donos da casa e ficou mesmo no 0 a 0. Resultado que não é ruim, já que os comandados de Ricardo Gomes decidem a vaga no Morumbi, na próxima terça-feira, jogando por qualquer vitória simples para se classificar.

Já os gaúchos não se deram nada bem. O Inter foi até Buenos Aires e, com interferência da arbitragem, que validou gol dos argentinos com impedimento claro e ainda expulsou o lateral Kléber de maneira duvidosa, foi derrotado por 3 a 1 pelo Banfield e agora encontrará muita dificuldade para reverter a vantagem dos argentinos.

Inter é Brasil na final da Liga…

GLOBOESPORTE.COM

A Inter de Júlio César, Maicon, Lúcio e cia, conseguiu derrubar os melhores do mundo. Para o confronto decisivo, os dois treinadores surpreenderam nas escalações. Guardiola preferiu improvisar Keita na lateral esquerda e deixar Maxwell no banco de reservas. Já Mourinho preteriu Pandev para lançar Chivu aberto pela esquerda, mais avançado. Pelo lado do Inter, Julio César, Maicon, Lúcio e Thiago Motta foram os brasileiros titulares. Daniel Alves começou jogando pelo Barça. Com a vantagem de poder até perder por um gol, o Inter entrou nitidamente com uma proposta defensiva. Os dois laterais, Maicon e Zanetti, nada apoiaram durante a primeira etapa, na qual o time italiano não deu sequer um chute a gol.

O Barcelona terminou o primeiro tempo com 77% de posse de bola, mas não conseguiu criar grandes chances de gol. Julio César, de fato, só foi obrigado a fazer uma (grande) defesa, em chute de Messi, da entrada da área. No mais, a pontaria dos atacantes do time catalão não esteve boa. Um lance em especial foi determinante para o andamento do jogo. Aos 28 minutos, Thiago Motta, perseguido por Sergio Busquets, jogou a mão para trás e acertou o pescoço do espanhol. A arbitragem expulsou o brasileiro, que ficou inconformado. Thiago, que é ex-jogador do Barça, chegou a dar um pescoção em Busquets ao sair de campo, alegando que o rival simulara ter sido atingido. Os jogadores dos dois times contiveram o volante, que deixou o campo irritadíssimo. Na área-técnica, o treinador Mourinho aplaudiu ironicamente a arbitragem.

Na volta para a etapa final, Guardiola sacou o zagueiro Milito e lançou o lateral Maxwell. Desta forma, ele recompôs a defesa recuando Touré e trouxe Keita para o meio. A ideia era reforçar o ataque pelas laterais. Como não conseguiu oferecer perigo ao gol do Inter, Guardiola mandou sangue novo a campo. De uma vez só, o treinador lançou dois jovens: Bojan, atacante, entrou no lugar de Ibrahimovic, enquanto o meia ofensivo Jeffren substituiu o volante Busquets. Pouco adiantou.

O Barcelona, sensação da temporada passada, só conseguiu furar o bloqueio interista aos 38 minutos. Xavi deu passe com açúcar para o zagueiro Piqué, que com um giro de corpo tirou Cordoba e Julio César da jogada e mandou para a rede.

Com a torcida inflamada, o Barça foi para cima em busca do gol da classificação. Julio César teve dificuldade para defender um chute de fora da área, mas a zaga aliviou o rebote. No fim, um último susto para o Inter. Bojan recebeu de Touré na área e mandou para a rede, mas a arbitragem anulou o lance por causa de um toque de mão do marfinense no início da jogada.

Após o apito final, muita festa dos jogadores do Inter de Milão no gramado do Camp Nou. A organização do estádio ligou o sistema de irrigação do campo ainda com os jogadores interistas dentro dele. Nada que esfriasse a euforia de José Mourinho e cia. Barcelona 1(2) x 0(3) Internazionale.

Na decisão, o Inter de Milão, que vencera o jogo de ida por 3 a 1, vai enfrentar o Bayern de Munique, que não encontrou dificuldades para eliminar os franceses do Lyon. Após o jogo de ida, na Alemanha, com vitória dos donos da casa por 1 a 0, o Bayer foi até a França, e mandou sonoros e incontestáveis 3 a 0. Todos os gols do confronto foram marcados pelo atacante croata Olic.

A final acontece no dia 22 de maio, no estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

Assunção chega no Palestra…

Depois de já realizar um treinamento com o restante do grupo no fim de semana, volante Marcos Assunção foi apresentado oficialmente como reforço do Palmeiras nessa segunda-feira.

Vindo de um ótimo Campeonato Paulista disputado pelo Grêmio Prudente, o experiente jogador, de 33 anos, com passagens em grandes times como Santos, Flamengo, Roma (ITA) e Betis (ESP), afirmou que já sentia falta de atuar em grandes equipes e se disse muito satisfeito de atuar pelo Palmeiras. Com sua situação legalizada, Assunção já pode ser escalado no duelo de quinta-feira, diante do Atlético/GO, no Parque Antártica, pelo jogo de ida, das Quartas-de-Final da Copa do Brasil. Ainda mais porque o outro volante titular e querido por torcida e diretoria do Verdão, Pierre, está suspenso e não poderá atuar. O recém-chegado volante afirmou que está pronto para estrear com a camisa verde.

“É um orgulho estar aqui, voltar a jogar em um time grande, disputar títulos, ver a casa cheia, era o que eu queria após ficar dez anos fora do Brasil. Joguei com o Antônio Carlos no Roma. Agora é uma situação diferente, ele é o treinador. Mas é sempre bom reencontrar os amigos. O Robert conheci no Betis, o Ewerthon e o Marcão na seleção. E, além disso, o Palmeiras tem um grupo jovem e de qualidade. Espero encaixar e me dar bem com todos.”

Felipe continua fora do gol…


Pelo quarto jogo consecutivo na Taça Libertadores da América, fora os três últimos do Corinthians no Campeonato Paulista, o goleiro Felipe será desfalque do time de Mano Menezes no duelo de ida, diante do Flamengo, nessa quarta-feira, no Maracanã, pelas Oitavas-de-Final da competição sulamericana.
O motivo ainda é a contusão que atormenta o goleiro há tempos. Felipe ainda não se recuperou totalmente de um coágulo na parte posterior da coxa direita e permanecerá em trabalho intensivo em São Paulo para estar pronto para a partida de volta, na quarta-feira seguinte, dia 5 de maio, no Pacaembu. A última aparição de Felipe no gol alvinegro foi no dia 24 de março, diante do Paulista, pelo Estadual.
Sendo assim, quem permanece no gol corintiano é o goleiro Júlio César, que atuou nas duas últimas partidas do Timão, assumindo a vaga de Rafael Santos, que foi titular em dois jogos da equipe na Libertadores.

‘Dança dos famosos’… nos bancos do país…

Depois de um tempo considerado afastado das notícias e da mídia esportiva, dois dos melhores treinadores de futebol estão de volta ao cenário futebolístico nacional.
Cinco dias depois de demitir o técnico Cuca, a diretoria do Fluminense confirmou nesse domingo a contratação do substituto. Trata-se de Muricy Ramalho. O ex-treinador de Palmeiras e São Paulo firmou acordo com o Tricolor carioca até o final do ano, com possibilidade de prorrogação por mais dois anos. Muricy, de 54 anos, tricampeão brasileiro, se apresenta na tarde dessa segunda-feira em um hotel em São Conrado, na Zona Sul do Rio de Janeiro e deve comandar seu primeiro treinamento, na sede da Portuguesa, na Ilha do Governador, já se preparando para a sua estréia no clube, no duelo diante do Grêmio, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, quinta-feira, no Maracanã.

Outra equipe que trocou de técnico e investiu pesado foi o Goiás. O time esmeraldino, que iniciou o ano com Hélio dos Anjos, tinha como comandante o ex-palmeirense Jorginho, que foi demitido após a goleada sofrida para o Vitória pela Copa do Brasil e de ser eliminado no Campeonato Goiano, pelo rival Atlético/GO, agora será liderado pelo consagrado treinador Émerson Leão, que passou pelas maiores equipes do país, como Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras.

Só Wesley salva…

Adilson Barros e Leandro Canônico
Globoesporte.com

Todos esperavam uma grande atuação de Neymar, a principal estrela do Santos neste Campeonato Paulista, mas problemas no olho direito o tiraram de campo mais cedo. Mas lá no meio campo, “escondido”, é que estava o herói da primeira final do Estadual.

Wesley, de 22 anos, não tem a mesma badalação de Neymar, Ganso e Robinho no atual elenco santista. Mas certamente depois deste domingo, a torcida do Peixe passará a olhá-lo com mais carinho. Já a equipe do ABC ignorou a pressão que vinha da arquibancada e ficou à vontade, como mandante que era da partida. As chances de gol para o Ramalhão foram muitas, mas saiu dos pés de Bruno César, jogador que está na mira do Corinthians, o gol que confirmou a superioridade do time azul. Após 34 minutos, o meia cobrou falta com perfeição no canto direito de Felipe e levou à loucura a torcida andreense e o banco de reservas da equipe. Aos 45, o atacante Nunes ainda perdeu uma chance incrível de ampliar o marcador.

Realmente Neymar não estava bem. O garoto não voltou para o segundo tempo. Segundo o técnico Dorival Júnior por conta de um problema no olho direito e também por causa de dores no tornozelo esquerdo, aquele da pancada. André entrou em seu lugar. A ausência de Neymar nem foi sentida pelo torcedor. O artilheiro André tratou de acabar com a insegurança dos santistas. Aos 13 minutos, após excelente jogada de Ganso pela esquerda, ele recebeu cruzamento livre e marcou de cabeça.

Mas o título de “o cara da primeira final” seria de um jogador pouco badalado perto das estrelas Ganso, Neymar e Robinho: o meia Wesley. Aos 16, após lançamento de Robinho, ele tocou na saída do goleiro Júlio César. Mais tarde, aos 24, o meia recebeu ótimo passo de Pará e chutou forte para ampliar. A baixa, além da contusão de Neymar, foi o terceiro cartão amarelo recebido pelo destaque do jogo, Wesley, que não atua na partida que encerra o Paulistão 2010.

O Santo André, porém, foi guerreiro. Recuperou-se do abatimento da virada e conseguiu diminuir aos 37, com Rodriguinho, mantendo o Ramalhão na briga. Santos 3 x 2 Santo André. Apesar da disputa ainda estar em aberto, o Peixe está muito próximo do título e dificilmente perderá a taça para os rivais que, no jogo de volta, no próximo domingo, no mesmo Pacaembu, precisa vencer os ‘Meninos da Vila’ por, no mínimo dois gols de diferença.

Anúncios