Clássico (e frangos) de arrepiar…

Tudo bem que Corinthians e São Paulo andam mesmo capengando, até estão vencendo uma partida aqui, outra ali, mas não andam convencendo nenhum de seus torcedores. E, até devido a isso, ambas as equipes precisavam muito de um resultado positivo no clássico, até para se tranquilizar na tabela e continuar brigando pela vaga no G4. Mas, mesmo assim, ningém poderia esperar um clássico tão eletrizante como foi ontem a tarde no Pacaembu.

Mesmo não muito satisfeita com o desempenho da equipe, a torcida corintiana mostrou porque é considerada a ‘Fiel’ e, após lotar o Parque São Jorge no último treinamento antes do clássico, lotou também o Pacaembu para apoiar o Timão. E foi impulsionado por essa torcida que o time pressionou os rivais desde o início. Contando com vários desfalques, entre eles Chicão e Felipe, Mano Menezes optou mais uma vez por entrar com um meio de campo reforçado, com Ralf, Jucilei e Elias, além do ex-sãopaulino Danilo e deixou Jorge Henrique no banco de reservas. Já Ricardo Gomes, entrou com o que tinha de melhor, com Richarlyson, como a única ausência na equipe.
Aos 15 minutos, um lance incrível. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Paulo André subiu de cabeça e mandou na trave de Rogério. No rebote, Dentinho bateu forte e acertou a trave novamente. A bola sobrou mais uma vez, dessa vez para o capitão William que bateu rasteiro, para um milagre de Rogério Ceni, evitando o gol corintiano.
O lance empolgou a torcida e o time corintianos. Tanto que três minutos depois, após linda troca de passes entre Danilo, Dentinho, Ronaldo e Elias, o camisa 7 bateu de primeira e mandou no canto de Rogério, abrindo o placar.

O Timão recuou um pouco, como de costume, mas mesmo assim conseguiu alcançar o segundo gol antes do São Paulo ameaçar o gol do garoto Rafael Santos. Aos 33, Dentinho fez boa jogada pela esquerda, cruzou rasteiro, Miranda levou a melhor para cima de Ronaldo, foi tentar sair jogando, dividiu com Elias e a bola sobrou para Danilo, que bateu com efeito, no ângulo de Ceni, que não alcançou.

Na saída de bola, o ponto negativo do clássico, Danilo tirou a bola de Washington e ela ficou com Dentinho, que tentou proteger. W9 se enroscou com o atacante corintiano, os dois se estranharam, se estapiaram e ambos acabaram expulsos de campo. Antes do intervalo, aos 43, o Tricolor ainda diminuiu. Dagoberto foi a linha de fundo, passou fácil por Paulo André e cruzou para trás para Jean bater no canto e descontar.

Na etapa final, Ricardo Gomes lançou o time a frente, sacando Léo Lima e mandando a campo o atacante Fernandinho. Mano manteve o mesmo time, apenas com um lento Ronaldo a frente. Porém, aos 7 minutos, outro experiente corintiano anotou o terceiro. Ao seu melhor estilo, Roberto Carlos cobrou falta central da intermediária, a bola fez a tradicional curva que poucos conseguem fazer igual e enganou Rogério Ceni. O sãopaulino caiu estranho, tocou nela mas não evitou o segundo gol do lateral com a camisa corintiana.

O terceiro gol desanimou os visitantes, que à aquela altura já se encontrava muito próximo da derrota. Porém, os comandados de Ricardo Gomes encontraram uma ajuda importante na reação na partida. E essa ajuda atende pelo nome de Rafael Santos. O jovem goleiro, substituto de Felipe, machucado, até então vinha sendo pouco acionado no jogo, e quando foi um pouco mais, falhou. E feio. Aos 29, Hernanes cobrou falta em cima do goleiro corintiano, que tentou encaixar a bola, mas soltou. Rodrigo Souto estava esperto e aproveitou o rebote. 3 a 2. E ainda teve mais. Animados e de volta a disputa, o São Paulo foi para cima e o gol de empate não demorou a sair. Aos 36, em nova cobrança de falta, Cicinho levantou da esquerda, Rafael saiu totalmente fora do tempo e mais uma vez Rodrigo Souto aproveitou, subiu de cabeça e deixou tudo igual. Era tudo que os corintianos não imaginavam que poderia ainda acontecer.

Com o empate, os sãopaulinos tomaram conta do jogo e partiram em busca da vitória. Mas o Corinthians conseguia se segurar e o empate já parecia de bom tamanho. Aos 43, Mano, por fim, sacou Ronaldo, para a entrada de Iarley. Era muito tarde para qualquer possibilidade, certo? Errado. Aos 45, o atacante, ex-Goiás e Inter, recebeu pela esquerda de ataque, invadiu a área, cortou dois marcadores e bateu cruzado. O zagueiro Alex Silva mandou a cabeça nela e acertou o ângulo de Rogério Ceni. Êxtase da Fiel. Corinthians 4 x 3 São Paulo.

Com a vitória, o Timão continua vivo na briga pela classificação, porém, não conseguiu adentrar o grupo dos quatro melhores, já que o Grêmio Prudente bateu a Portuguesa, em pleno Canindé, por 2 a 1, e garantiu o pulo para a terceira posição na tabela. Mesmo com a derrota, o São Paulo se manteve no G4, mas está em quarto e a um ponto do Corinthians. Já o líder Santos passeou mais uma vez. Enfrentou o muito fraco Monte Azul, na Vila Belmiro. Dá pra imaginar o resultado não é? Goleada. Claro. 5 a 0, sem muito esforço. E o técnico Dorival Júnior ainda afirmou que o time não jogou bem. Imagina se jogasse. No sábado, o Palmeiras se afundou um pouco mais na crise, ao empatar com o Mirassol, no Palestra Itália, por 1 a 1. O Santos está em primeiro com 41 pontos, Santo André, que perdeu para o Mogi por 3 a 2, é o segundo com 36, Prudente é o terceiro com 31 e o São Paulo fecha o G4 com 30. Corinthians vem na seqüência com 29, Lusa e Botafogo com 28 e São Caetano com 27 ainda alimentam esperanças também.

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: