Arquivo para 1 de março de 2010

A molecagem derrubando a burocracia…


Que a expectativa era de um grande jogo na Vila Belmiro, isso é certeza. Dos meninos da Vila, mesmo sem Robinho, que está com a Seleção Brasileira, que disputa amistoso em Londres, contra a Irlanda, nessa terça-feira, contra os experientes craques e ‘velhinhos’ do Parque São Jorge. Mas nem o mais otimista expectador, torcedor de qualquer das duas equipes imaginava um começo tão alucinante.
Ronaldo e Dentinho no centro do gramado para o pontapé inicial. Dentinho rola para Ronaldo, que faz o passe longo para a direita e correria em direção ao ataque. Nisso, o garoto Paulo Henrique Ganso encontra o Fenômeno e aplica a chamada ‘paulistinha’ deixando Ronaldo estirado no gramado, se contorcendo de dor, e os corintianos preocupados com menos de 10 segundos de jogo. Mas não seria apenas isso de preocupação para a Fiel. Aos quatro minutos, Marquinhos é acionado e invade perigosamente a área corintiana. William chega na cobertura e Roberto Carlos tenta o desarme por trás. Marquinhos cai. Pênalti e cartão amarelo para RC6, assinalados pelo árbitro José Henrique de Carvalho, que viria a ser muito contestado por parte das duas equipes. Na cobrança, o xodó santista, Neymar. Bateu forte e Felipe defendeu bonito, espalmando para cima. Tudo isso com menos de 5 minutos de bola rolando na Vila Belmiro.

Mas, mesmo assim, os corintianos seguiam inferiores ao futebol do time da casa, e não conseguiam criar muitas chances de gol. Diferentemente dos garotos comandados por Dorival Júnior, que levavam muito perigo ao goleiro Felipe do Corinthians. Aos 7, Ganso lançou Neymar, a zaga parou, Roberto Carlos deu condição de jogo, e o garoto saiu de frente a Felipe, que salvou o Timão mais uma vez. Aos 18, foi a vez de Arouca aparecer. O volante saiu de trás, recebeu enfiada de bola de Marquinhos e obrigou Felipe a operar mais um milagre para manter o placar igual. A atuação do Felipe corintiano parecia inspirar os companheiros que decidiram partir para o ataque. E os visitantes quase abriram a conta aos 24, em um dos lances mais bonitos do campeonato. Ronaldo partiu pela direita e lançou Dentinho na área. O camisa 17 dominou, levantou a bola tirando da marcação e emendou uma linda bicicleta. Foi a vez do goleiro Felipe do Santos mostrar que não ficava devendo ao xará corintiano.

O Corinthians crescia na partida e já tomava as maiores atitudes na partida, quando, aos 33, Marquinhos desceu pela direita e achou Neymar na entrada da grande área, o garoto dominou, girou para cima da marcação de Alessandro e bateu forte no canto de Felipe, que dessa vez nada pôde fazer.

No segundo tempo, Mano tentou melhorar o time sacando Alessandro e Ralf e mandando a campo Moacir e Jucilei. Mal sabia ele que estaria acabando com as chances corintianas de conquistar um bom resultado na Vila. O time continuou com um futebol muito burocrático, até piorou e viu o Peixe dobrar a vantagem aos 14 minutos. Mais uma vez em uma jogada muito bem feita pelo setor de ataque, Marquinhos jogou por cima para Neymar, dentro da grande área. Ele matou bonito no peito e viu o atacante André chegando de trás. Neymar rolou e André, livre, só empurrou no canto de Felipe. 2 a 0.

Com a vantagem, os garotos santistas ficaram ainda mais atrevidos e irritavam os rivais com algumas ‘graças’ com a bola rolando ou com o jogo parado. Em um dos lances, Neymar aplicou um chapéu em Chicão, após ser indicado em posição de impedimento. O zagueiro não gostou nada e empurrou o atacante pela cabeça. Cartão amarelo para os dois.

Aos 24, o Timão conseguiu diminuir a vantagem. Ronaldo fez jogada pela esquerda e acionou Dentinho que, de dentro da área bateu de primeira, a bola bateu caprichosamente na trave direita do goleiro Felipe e voltou no pé do atacante corintiano que encheu o pé, estufando a rede. Aí a pressão corintiana seria intensa. Seria. Dois minutos depois, lembra do Moacir? Que veio do Sport de Recife, atuou apenas alguns minutos em um jogo do Paulistão até então. Pois é. O lateral, que já havia levado cartão amarelo em sua primeira participação no jogo, entrou de maneira violenta e desproporcional em Marquinhos e foi expulso, brecando a reação dos comandados de Mano Menezes, que se desesperava no banco de reservas com a arbitragem, mas nesse lance, se revoltou com a postura de Moacir que mereceu ser expulso. Com um a menos já ia ficar difícil empatar o jogo. E com dois a menos então? Dois minutos depois de Moacir levar o vermelho, o experiente Roberto Carlos tentou jogada para cima de Roberto Brum dentro da área santista, tomou a frente do adversário e se jogou, tentando cavar um pênalti. Se levantou rapidamente, mas o árbitro não perdoou e mostrou o segundo cartão amarelo para Roberto Carlos e lhe proporcionou a segunda expulsão em poucos jogos pelo Timão, curiosamente segunda expulsão no seu segundo clássico. O primeiro foi contra o Palmeiras quando RC foi expulso com menos de 10 minutos de jogo, mas naquela oportunidade, o Corinthians ainda conseguiu a vitória. Não foi o que aconteceu dessa vez. Com dois a menos, o Timão passou a tentar não tomar mais gols e só. Mas o Santos apenas administrava e se preocupava em brincar. Por isso, aos 40, os corintianos tiveram a chance de, nas palavras do seu técnico, se tornarem heróis. Os santistas só observaram o avanço de Dentinho pela direita. Ele foi até a linha de fundo e cruzou. Ronaldo não aguenta correr da defesa ao ataque e vice-versa durante todo o jogo, por isso não estava na grande área. O goleiro Felipe se atrapalhou e deixou a bola escapar. Quem estava na pequena área, com gol aberto, com a missão de apenas empurrar para dentro era Tcheco. Ele deciciu cabecear a bola, que não é sua especialidade. E conseguiu o mais difícil, mandar por cima e decretar a derrota corintiana na Vila. Santos 2 x 1 Corinthians.

Nos outros jogos importantes da rodada, o Santo André bateu a Portuguesa com facilidade por 2 a 0, em casa e segue na cola do líder Santos. No domingo, o São Paulo promoveu a estréia do atacante Fernandinho, que entrou no segundo tempo do duelo contra o Monte Azul, em Barueri. O jogo já estava 1 a 0 para o Tricolor, mas Fernandinho mostrou que não chegou para ser mais um. Marcou nada menos que quatro gols e ajudou o São Paulo a encerrar o jejum de dois jogos sem vitória com a goleada por 5 a 1. Já o embalado Palmeiras, de Antônio Carlos Zago, sofreu o primeiro baque sob o comando do novo ‘professor’. Perdeu do Rio Claro, um dos últimos da tabela, por 1 a 0.
O Santos segue absoluto na ponta, agora com 28 pontos, seguido pelo Santo André, com 24. O terceiro é o Botafogo de Ribeirão Preto, que tem 21 pontos. Quem fecha o grupo dos quatro melhores agora é o São Paulo, que chegou aos 20 pontos, deixando o Corinthians fora do G4, com 19, na quinta posição. Po falar em grande fora da zona de classificação para as semifinais, o Palmeiras com a derrota continua distante desse grupo, com 16 pontos, em oitavo.

Anúncios
Anúncios