Arquivo para 8 de fevereiro de 2010

A letra é R… de Robinho…

Devido ao show de Beyoncé no estádio do Morumbi na noite de sábado, o São Paulo teve de receber o Santos na Arena Barueri.
E a cantora americana declarou que fez o melhor show de toda a sua carreria no estádio do Tricolor.
Um dia depois da apresentação de Beyoncé, o show mesmo estava reservado para um certo reestreante no clássico, que se não fez a melhor apresentação da carreira, fez um dos gols mais bonitos e decidiu o jogo.

Com um público de pouco mais 14 mil pessoas, o clássico San-São começou equilibrado, mas o Santos de Neymar e cia. partia mais para cima, tentando encurralar o adversário no campo de defesa. Mesmo com o frote calor que fazia, os dois times abusavam da velocidade, surpreendendo a todos que não esperavam tanta movimentação desde os primeiros momentos de partida.
O tempo foi passando e o Peixe ia começando a ‘gostar mais do jogo’, como se diz. Aos 15, André perdeu grande chance, de frente para o gol, depois de jogada de Paulo Henrique Ganso. O Tricolor ainda tentava sair, mas não conseguia oferecer muito perigo ao gol do jovem goleiro santista Felipe.
Aos 37 minutos, o ex-sãopaulino Arouca foi acionado e invadiu a área até ser atropelado por Miranda. Pênalti. Na cobrança, ele. Não o reestreante que ainda assistia o jogo do banco de reservas, mas sim o atual ídolo da Vila, que completou a maioridade recentemente. Neymar. Fez a polêmica paradinha, deixou Rogério Ceni caído do outro lado e abriu o placar. 1 a 0 Peixe.

O gol abalou os comandados de Ricardo Gomes que ficaram satisfeitos em ir para o intervalo perdendo apenas por um gol.
Na etapa final, o time do Morumbi voltou com uma marcação mais forte, sobretudo de Jean em cima do cabeça do meio de campo santista, Paulo Henrique Ganso.
Ao observar isso, o técnico Dorival Júnior tratou de fazer o que todos esperavam. Aos 12 minutos, lançou Robinho no lugar do jovem atacante André. Era a reestréia do camisa 7 com as cores do clube da Vila Belmiro. Ricardo Gomes respondeu, e substituiu o centroavante Washington, que nada fez, pelo ex-santista e recém chegado também Cléber Santana. Porém, mesmo com Robinho em campo, o Tricolor crescia. Dagoberto sentiu contusão aos 17, então RG foi orbigado a queimar mais uma sustituição, colocando em campo o contestado atacante Roger.
E surpreendendo a muitos, na primeira participação do camisa 19, o São Paulo empatou. Marcelinho Paraíba cruzou da direita e Roger subiu mais que a zaga para cabecear para a rede. 1 a 1.

O jogo se encaminhava para terminar em igualdade, porém, tinha um jogador que queria marcar sua primeira nova passagem pelos gramados brasileiros. Na primeira tentativa, Robinho tabelou bonito com o ‘discípulo’ Neymar e mandou no cantinho. Rogério Ceni foi buscar. Mas, aos 40, não teve jeito.
Contra-ataque santista, o meia Wesley, jogando de lateral direito apareceu pela ponta, observou ‘alguém’ na pequena área e cruzou. Robinho apareceu livre de marcação, se antecipou a Rogério Ceni e de maneira brilhante, como só quem entende muito de futebol sabe fazer, tocou com extrema categoria, de letra, para garantir a vitória e a liderança para o Santos. São Paulo 1 x 2 Santos.

Com a vitória, o Santos se isolou na liderança com 16 pontos, seguido de Botafogo, com os mesmos 16, Corinthians e Ponte Preta, com 14. No sábado, o Corinthians venceu e convenceu no Pacaembu, 4 a 0 para cima do Sertãozinho. E no domingo, a Ponte levou a melhor diante da Portuguesa, 2 a 1 e o Palmeiras diminuiu a pressão para os lados de Palestra Itália, passando no sufoco pelo Bragantino por 3 a 2, em Bragança Paulista.

Anúncios
Anúncios